Botucatu: Quanto custa a água que você consome? Valor da tarifa de água na cidade é tema de ofício de vereador

A água utilizada em atividades humanas como regar plantas, gerar energia elétrica e fazer parte de processos industriais é um bem finito. Com ainda menor disponibilidade, é aquela que usamos para consumo e preparo de refeições, conhecida como água potável. É fato que o Planeta Terra é composto por, aproximadamente, 70% de água. Entretanto, a água própria para consumo humano representa somente 2% desse total.

Sabendo dessa situação, governos e entidades em todo o mundo precisam adotar medidas para reduzir o desperdício de água e, além disso, encontrar maneiras de potencializar os recursos hídricos que dispomos na atualidade. Foi pensando em uma melhor gestão da água que, em 1997, a Agência Nacional de Águas instituiu a Lei nº 9.433/1997, a qual, entre outras coisas, explica os objetivos da cobrança pelo uso da água.

Justamente sobre o tema da cobrança de tarifa é que o vereador Lelo Pagani (PSDB) endereçou um ofício à Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo, a Sabesp, após ouvir questionamentos de botucatuenses. No texto, Lelo destacou a importância de saber porque a empresa “diferencia os imóveis residenciais dos comerciais para a cobrança dos valores das tarifas de água e esgoto”.

Segundo Lelo, ele foi questionado por alguns moradores sobre a situação e procurou a empresa para entender os parâmetros. “Eu questionei a Sabesp em relação a esse fato, já que é este um tema de interesse público”, explica Pagani.

Na oportunidade, o vereador também destacou a importância do trabalho que a companhia realiza em Botucatu, sendo ponto relevante na economia local. “Tenho muita estima e consideração pela presença da Sabesp em nosso município, tanto pelo excelente trabalho em água e esgoto que realizam, oferecendo segurança e saúde para os moradores, quanto pela grande geradora de empregos que é”, comentou Lelo.

Tarifas

A taxação pelo usa da água se justifica pela obtenção de verba para recuperação de bacias hidrográficas, para estimular investimento em despoluição e incentivar a utilização de tecnologias limpas e poupadoras de recursos hídricos.

Além disso, a cobrança também serve como um instrumento de controle e conscientização de empresas de abastecimento de água e esgoto, indústrias e empreendimentos agrícolas em relação à utilização desse recurso, buscando evitar excessos e/ou desperdícios.

Em São Paulo, tendo Botucatu como uma de suas sedes principais do interior, quem realiza os serviços de captação e tratamento da água e do esgoto é a Sabesp. A empresa também é responsável por realizar a cobrança da tarifa a empresas, indústrias e comércios.

Com Assessoria