Botucatu: Mangalargada foi marcada pela grande presença das mulheres no pódio

As mulheres marcaram presença na 1ª Etapa do Circuito de Mangalargada realizada no último sábado (19), no Haras Espinhaço, em Botucatu (SP).

Dos cinco lugares no pódio, três foram ocupados por mulheres, e na categoria infantil, outro destaque da etapa, uma menina ocupou o lugar mais alto do pódio.

A etapa, organizada pela Associação Brasileira dos Criadores de Cavalos da Raça Mangalarga (ABCCRM) – Núcleo Mangalarga do Oeste Paulista, foi a primeira após a pausa da pandemia, e reuniu 35 conjuntos que percorreram o entorno do Haras, em um trajeto considerado desafiador pelos participantes.

“A Mangalargada, além de trazer muita alegria à propriedade, traz a família, o ambiente familiar e isso é muito a cara da nossa sistemática de criação. Criamos o Mangalarga visando trazer a nossa família para o entorno”, afirma Rodrigo Novais, um dos proprietários do Haras Espinhaço.

A Mangalargada

Os médicos veterinários Dr. Geraldo Fanti, presente na Mangalargada desde a primeira etapa e especialista em enduros, e Dr. Gustavo Fioreloni, com mais de 20 anos de experiência em Enduro, foram os responsáveis por avaliar os animais após a prova.

Ambos os veterinários enalteceram a qualidade dos animais que participaram da etapa, que terminaram o trajeto com muita qualidade física. “Ficamos muito felizes com o condicionamento dos animais, todos conseguiram concluir a etapa, sem nenhum cavalo desclassificado, isso se deve ao bom condicionamento deles, boa escolha da pista, treinamento dos conjuntos e a forma como os competidores fizeram a prova, respeitando os limites de cada animal”, afirmou Dr. Fioreloni.

Animais passando pelo vet check

“Todos aqui estão de parabéns, o número de cavalos participando foi muito bom, animais evoluindo, terminando a etapa com qualidade e a hospitalidade do Haras Espinhaço foi incrível”, comemorou Dr. Geraldo.

Família reunida

Uma das principais diretrizes da Mangalargada é reunir a família em prol da raça e nesta edição, o Haras Espinhaço trouxe uma categoria voltada às crianças. Os pequenos fizeram duplas com os pais e mostraram que também são apaixonados pelos Mangalargas.

“O intuito foi esse mesmo, trazer a família, novas pessoas que não criam para a raça, inclusive o Luca, que ficou em segundo lugar é filho de uma amiga de infância minha que nos conhecemos no hipismo e agora nos reencontramos, e a primeira foi a Manu, filha do Rodrigo Paradeda, da Leiloeira ANP. Ficamos muito felizes, pois agregamos a família, os amigos, que é a nossa intenção com as Mangalargadas do Espinhaço”, enalteceu Glaucia Novais, uma das proprietárias do Haras Espinhaço.

Mateus agradeceu seu animal depois de finalizar a etapa

Presença ilustre

Além da família e dos amigos, a edição do Haras Espinhaço contou com uma presença ilustre: Camila de Freitas, do Haras Mangabaia, idealizadora da Mangalargada no Brasil.

A criadora esteve presente no evento e participou da prova. Camila ressaltou que a proposta da Mangalargada é agregar a família, os amigos e todos os amantes do cavalo para conhecer seus animais e experimentar essa experiência incrível: cavalgar em seu cavalo.

“Muitos criadores não conhecem seus animais. Desde que eu comecei a criar eu me incomodei muito com isso. Eu vim do esporte à cavalo, fiz enduro, salto, adestramento e com essas passagens, observei que eu gosto mesmo é da raça Mangalarga, pela docilidade, cavalgadas e passeios, e observava que na raça não havia esporte, apenas exposições. Com isso, eu adaptei o Enduro à modalidade. E assim, para participar, o criador precisa conhecer seu animal para conseguir completar todas as etapas. A intenção era essa, fazer o proprietário conhecer seu animal, agregando a família inteira e os apaixonados pelos cavalos”, afirma Camila.

Além da família e dos amigos, a edição do Haras Espinhaço contou com uma presença ilustre: Camila de Freitas, do Haras Mangabaia, idealizadora da Mangalargada no Brasil.

Grandes campeões

E não é que a prata da casa venceu a etapa da Mangalargada do Haras Espinhaço?! O pessoal presente no evento brincou e aplaudiu a Glaucia Novais pela conquista do primeiro lugar. “Eu não queria ganhar aqui, mas estou muito feliz. Fiz dupla com a filha do meu veterinário, a Sofia, ela não é criadora e foi a primeira vez que ela participou. Fiquei muito feliz”, comemorou Glaucia.

Na categoria infantil, Manuela Paradeda e Queimada completaram a etapa em primeiro lugar.

“Foi muito legal cavalgar com o meu pai, foi a minha primeira vez”, ressaltou Manuela que se emocionou no anúncio da sua vitória.

A ABCCRM

Fundada em 1934, a Associação Brasileira dos Criadores de Cavalos da Raça Mangalarga (ABCCRM) possui 84 anos de fundação, atuando no fomento da raça Mangalarga do Brasil em todo território nacional.

Atualmente a associação é presidida por Eduardo Rabinovich, que atua no apoio junto ao associado, levando auxílio técnico a todos os criadores do país, além da promoção de eventos e encontros.

Saiba mais em www.cavalomangalarga.com.br.

Por: Camila Pedroso

Fotos: Divulgação

Fonte: Portal Cavalus