Botucatu: Homem alega ter sido colocado em sala com pessoas positivas à Covid-19 no PS

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Um morador de Botucatu gravou e divulgou, nas redes sociais, um vídeo onde alega ter ficado em uma mesma sala com pacientes confirmados para a covid-19 no Pronto Socorro Adulto (PSA), unidade que é gerenciada pelo Hospital das Clínicas de Botucatu (HCFMB).

No relato, o homem, que não se identificou no vídeo, disse que procurou a unidade neste sábado, 20 de março, primeiro dia de lockdown em Botucatu, por não sentir-se bem. “Eu simplesmente saí da minha casa vim para o pronto Socorro. Não me sentia bem. Nem queria vir, na verdade. Cheguei e fui examinado pela triagem, tudo normal. E o que aconteceu? Eles me mandaram para uma sala sete, que fica no fundo do corredor, uma sala apropriada para aqueles com suspeita de Covid-19”, afirmou.

Durante o tempo que ficou na sala, afirmou que chegou mais um homem, que afirmou ter diagnóstico positivo para o novo coronavírus. “Depois chegaram mais duas e, dessas, era um rapaz que perguntou para todo mundo se estavam com covid. Eu disse que não, que estava na sala porque passei mal e me mandaram para ela. Não fiz exame e acredito não ter covid. Por incrível que pareça, aquele homem estava com a doença. Ou seja, estão colocando na mesma sala pessoas que estão com covid”, salientou.

O homem afirmou que reclamou com os gestores responsáveis pelo PSA, os quais alegaram ser um procedimento padrão. Alegou ainda que uma mulher de 60 anos, com dor de estômago também ficou na mesma sala. “Reclamei com a diretoria do hospital e disseram que esse procedimento que estão fazendo e isso que tem que ser feito. Imagine quantas pessoas vieram aqui e colocaram pessoas com resultado positivo e que não têm? Na hora queria filmar, peguei meu celular e a atendente chamou a segurança, que não permitiu. Estou indo embora doente porque não quero ficar aqui não. Vi duas salas vazias sem ninguém ao lado dessas que estávamos. Um dos seguranças disse que há mais de uma semana estão fazendo isso, de colocar pessoas na mesma sala”, frisa.

Em nota, o Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu afirmou que o paciente procurou a unidade e passou pela triagem apresentando “quadro compatível com síndrome gripal”. “Nesta sala, o paciente que gravou o vídeo alegou uma conversa com um outro paciente que aguardava atendimento e dizia ser caso positivo. Sem qualquer pergunta ou orientação da equipe, evadiu-se do local sem passar por consulta”, ressalta a nota oficial do HCFMB enviada à imprensa.

“O quadro descrito pelo paciente no vídeo nos preocupa, uma vez que, mesmo com sintomas compatíveis de COVID-19, este não passou por atendimento, não foi testado e provavelmente não está em isolamento, podendo colocar não só a sua saúde como a de outras pessoas em risco, por não ter tomado a conduta correta”, frisou a unidade.

Quanto a alocação de pacientes na mesma sala, o hospital ressalta que “todos os pacientes sintomáticos são considerados suspeitos de COVID-19, o que acarreta em uma sobrecarga estrutural, já que não há espaço suficiente para isolar todos os considerados suspeitos. Em situações excepcionais como esta, o paciente com suspeita de COVID-19 pode aguardar sua consulta em um mesmo local com outros pacientes suspeitos por um curto período de tempo, devidamente paramentado, utilizando máscara cirúrgica tripla e mantendo a distância”.

A unidade reforça que “esta medida é indicada pela Comissão de Controle de Infecção relacionada à Assistência (CCIRAS) do HCFMB em casos de extrema necessidade e embasada nos protocolos do Ministério da Saúde e da Secretaria de Saúde do Estado”. Por fim, o hospital reforça que a situação relatada está sendo avaliada pela direção da unidade.

O médico João Paulo Marmo Pereira, gestor responsável pelo Pronto Socorro Adulto, postou um vídeo rebatendo as acusações. Alega que a unidade segue todos os protocolos estabelecidos pelo Ministério da Saúde. “O que não faltou foi empenho ou assistência a nenhum munícipe de Botucatu”, salientou. Disse que alguns leitos da unidade foram acionados para tratamento de pacientes confirmados com o novo coronavírus. ‘O sistema está esgotado. Por isso fechamos salas e adaptamos para atender as pessoas. Não adianta fazer tudo isso que é uma conta que não fecha. A população precisa fazer o vírus parar de circular”, frisou.

Pereira reforça que a sala mencionada no vídeo existe e seus protocolos foram definidos pela Comissão de Controle de Infecção relacionada à Assistência do hospital. “A pessoa evade do serviço que seria atendida colocando em risco as  outras . Quanto ao que foi exposto sobre a sala, sim, temos a sala 7, que é de espera. Mas sabem por que a temos? Tivemos que criar este espaço para não deixar alguém com sintoma de síndrome gripal no meio das outras pessoas que estão aguardando atendimento e que não tenham os sintomas. Só que tivemos que criar mais internação, mais espaço, mais pontos de oxigênio e foi feita uma consulta ao nosso Controle de Infecção Hospitalar. Tudo o que fazemos é baseado na ciência. Qual foi a consulta: se dermos a esses pacientes com sintomas de síndrome gripal que procurarem a unidade, uma máscara cirúrgica por um curto espaço de tempo, enquanto aguardam consulta médica, se eles poderiam dividir o mesmo espaço dentro de uma distância segura. A resposta foi sim. Isso foi adotado para que tenhamos mais pontos de oxigênio para atender a quem realmente precisa”, desabafou o médico.

O médico responsável pelo Pronto Socorro Adulto ainda reforça que qualquer pessoa com sintoma de síndrome gripal deve, primeiramente, procurar a Central Coronavírus do município (3811-1519) antes de se deslocar a qualquer unidade de saúde, principalmente nos dias de maior restrição de circulação de pessoas.

Confira a nota emitida pelo HCFMB

O Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HCFMB) vem a público esclarecer sobre o vídeo postado nas redes sociais na noite de ontem, 20, onde um paciente, ao procurar atendimento no Pronto Socorro Adulto (PSA), passou pela triagem apresentando quadro compatível com síndrome gripal, sendo então encaminhado à sala de isolamento como caso suspeito de COVID- 19.

Nesta sala, o paciente que gravou o vídeo alegou uma conversa com um outro paciente que aguardava atendimento e dizia ser caso positivo. Sem qualquer pergunta ou orientação da equipe, evadiu-se do local sem passar por consulta.

O quadro descrito pelo paciente no vídeo nos preocupa, uma vez que, mesmo com sintomas compatíveis de COVID-19, este não passou por atendimento, não foi testado e provavelmente não está em isolamento, podendo colocar não só a sua saúde como a de outras pessoas em risco, por não ter tomado a conduta correta.

Sabemos que estamos passando pelo pior momento da pandemia na nossa cidade, o que leva uma alta procura por atendimento em nosso PSA.

Neste momento, todos os pacientes sintomáticos são considerados suspeitos de COVID-19, o que acarreta em uma sobrecarga estrutural, já que não há espaço suficiente para isolar todos os considerados suspeitos.

Em situações excepcionais como esta, o paciente com suspeita de COVID-19 pode aguardar sua consulta em um mesmo local com outros pacientes suspeitos por um curto período de tempo, devidamente paramentado, utilizando máscara cirúrgica tripla e mantendo a distância. Esta medida é indicada pela Comissão de Controle de Infecção relacionada à Assistência (CCIRAS) do HCFMB em casos de extrema necessidade e embasada nos protocolos do Ministério da Saúde e da Secretaria de Saúde do Estado.

Estamos avaliando criteriosamente a situação relatada. Sabemos que estamos longe do atendimento ideal, mas seguimos com o nosso compromisso de não medir esforços para prestar assistência à todos os pacientes que precisam de atendimento. Pedimos a compreensão de todos neste momento crítico.

Atenciosamente,

Assessoria de Imprensa do HCFMB

Por Flávio Fogueral

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes