Bauru 125 anos: sanduíche símbolo da cidade é servido com receita original na mesma lanchonete desde 1970

Pão francês sem miolo, queijo mussarela derretido na água, rosbife, tomate e picles. Essa é a receita do tradicional sanduíche de bauru, que é patrimônio cultural do estado de SP. Bauru (SP), a cidade que deu nome ao lanche, comemora 125 anos neste neste domingo (1º) e o famoso sanduíche, conhecido em diferentes receitas Brasil à fora, é sempre lembrado nesta data em que as tradições locais ganham protagonismo.

A receita original é vendida na cidade desde a década de 1970 e a primeira lanchonete a comercializar o sanduíche bauru na cidade acaba de renovar a certificação da prefeitura do município dada aos locais que vendem o produto original.

Após 50 anos preservando a receita que fez com que a cidade fosse conhecida em todo o estado e até mesmo no Brasil, os novos proprietários da lanchonete buscam manter a tradição e a história do sanduíche que segue sendo protagonista quando o assunto é a gastronomia local.

Confira como é preparado o tradicional sanduíche bauru

Confira como é preparado o tradicional sanduíche bauru

“O Skinão foi o primeiro estabelecimento a ter a certificação da prefeitura para vender o sanduíche na cidade e foi o primeiro estabelecimento a fazer a receita. A renovação ocorre a cada 2 anos e é feita pelo Comtur (Conselho Municipal de Turismo de Bauru) para credenciar o estabelecimento que faz o sanduíche original”, afirma Rafael Spinelli, um dos donos do local.

Rafael relata que quando teve a oportunidade de adquirir a marca da lanchonete em 2018, ela estava fechada há cerca de 2 anos e, apesar da mudança de endereço do local, decidiu preservar não só o ambiente, mas também seguir dando destaque para toda a história que envolvia o lanche de bauru que a tornou uma referência na região.

“Pra gente é muito importante retomar a história do lanche. Nós adquirimos com essa visão de manter a história do lanche e do restaurante, por ser da cidade, viver aqui e ter uma relação com tudo isso, de ter um contato próximo. Ter reaberto ele há 3 anos atrás foi um prazer”, recorda o dono.

O proprietário destaca ainda a importância de manter essa herança da cultura bauruense, que também faz parte da sua vida, já que desde quando era criança frequentava o bar e já ouvia a história do famoso sanduíche.

Tradicional "Bauru" chegou à cidade na década de 70 e, desde então, se tornou destaque na gastronomia local — Foto: Prefeitura de Bauru/ Divulgação

Tradicional “Bauru” chegou à cidade na década de 70 e, desde então, se tornou destaque na gastronomia local — Foto: Prefeitura de Bauru/ Divulgação

“Eu sou bauruense e eu gosto muito da lanchonete, sempre fui cliente. Meu pai me levava na da Avenida Rodrigues Alves e depois continuamos a ir quando mudou para a Rio Branco. Nós íamos quando eu saía da aula. E eu sempre gostei muito de estar ali.”

Segundo Rafael, mesmo depois de tantos anos, o bauru continua sendo o lanche mais pedido pelas pessoas que visitam a cidade e têm curiosidade de experimentar o lanche que leva o seu nome. Ele diz ainda que a história do sanduíche é sempre compartilhada pelos garçons com os clientes durante o atendimento, como uma forma de difundir essa herança.

“Tem muita saída, porque a maioria das pessoas que vão até o restaurante pedem o lanche de bauru, claro que o cardápio é mais amplo, mas as pessoas de fora da cidade, a grande maioria quer o bauru. Lá a gente tem a história do lanche, todos os garçons sabem e contam para os clientes nas mesas. O Raul Gazolla foi lá essa semana e disse: ‘nossa, como eu viria pra Bauru e não comeria o lanche bauru?’ E é sempre assim”.

Sanduíche bauru continua sendo o mais pedido no "Skinão" por turistas que visitam à cidade  — Foto: Skinão/Divulgação

Sanduíche bauru continua sendo o mais pedido no “Skinão” por turistas que visitam à cidade — Foto: Skinão/Divulgação

Tradição bauruense

Receita do famoso sanduíche bauru leva pão francês sem miolo, queijo mussarela derretido na água, rosbife, tomate e picles — Foto: Prefeitura de Bauru/ Divulgação

Receita do famoso sanduíche bauru leva pão francês sem miolo, queijo mussarela derretido na água, rosbife, tomate e picles — Foto: Prefeitura de Bauru/ Divulgação

A história do sanduíche que leva o nome da maior cidade do centro-oeste paulista não começou em Bauru, mas sim com um bauruense na capital de São Paulo.

Foi na década de 30, que o radialista Casemiro Pinto Neto, conhecido pelos amigos como “Bauru”, pediu o lanche pela primeira vez no popular Ponto Chic, que frequentava com os amigos, quando ainda estava no curso da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, no Largo de São Francisco.

Casemiro morreu em dezembro de 1983, aos 69 anos, mas enquanto ainda estava vivo, sempre contava em entrevistas, que pediu para o sanduicheiro do local montar um lanche específico para ele, que não estava disponível no cardápio.

Aniversário de 125 de Bauru é comemorado neste domingo (1º) e marca retomada do comércio

O pedido foi atendido durante uma noite em 1936, em que o então estudante recordou que estava com fome e pressa, pois tinha uma partida de sinuca. O lanche logo fez sucesso entre os amigos do estudante de direito e a receita acabou entrando para o cardápio do restaurante.

A tradicional receita do estabelecimento paulistano, finalmente chegou à sua cidade natal quando o fundador do bar “Skinão” de Bauru, conhecido como Zé do Skinão, foi até São Paulo e provou o sanduíche em 1973.

A partir daí ele decidiu trazer a ideia para o seu bar e começou a entregar o lanche de graça para as pessoas que passavam pela porta do primeiro estabelecimento, até então localizado na esquina da Avenida Rodrigues Alves com a Rua Gustavo Maciel, conforme contou o seu filho, Marquinhos, em entrevista ao G1 em 2016.

O objetivo era divulgar o novo item para depois colocá-lo no cardápio e a aceitação dos clientes foi tão boa que logo o lanche se tornou o carro chefe da casa, que se tornou conhecida por vender o tradicional Bauru. Uma tradição que é mantida pelos atuais donos da lanchonete.

“A gente se sente obrigado a manter a história de Bauru através da tradição da lanchonete, mantemos o nome, o sanduíche, tudo. É algo que faz parte da história da cidade e ficou fechado, sem atendimento ao público por algum tempo e retomamos essa história que começou na década de 70″, explica Rafael.

“Tentamos resgatar cozinheiras, garçons, que trabalhavam antes e hoje estão aqui. Eles conhecem até os clientes, que são fiéis, tem dia pra ir, pessoas de todas as idades que vem e o lanche de Bauru segue sendo um destaque no cardápio”.

Assim como o Skinão, anos depois, o Ponto Chic continua em funcionamento e o sanduíche bauru também segue sendo parte do cardápio desse local que representa tradição na capital e levou o nome da cidade do interior para todo o estado.

Antes de morrer de Covid-19 em março deste ano, o dono do restaurante, José Carlos Alves de Souza, de 71 anos, já havia falado em entrevistas que o sanduíche é o carro chefe do estabelecimento desde a sua criação e que contribuiu para que o local se tornasse o ponto de encontro de jornalistas, políticos, esportistas e outros formadores de opinião que fazem parte da história da capital paulista.

Fonte: Tv Tem

Scroll Up