Ataíde Gil Guerreiro divulga áudio que culminou na renúncia de Aidar

A temporada acabou, mas a política do São Paulo segue bastante agitada. Na manhã dessa quinta-feira, o vice-presidente de futebol, Ataíde Gil Guerreiro, divulgou o áudio de Carlos Miguel Aidar, que culminou na renúncia do, então, presidente do Tricolor.

Ataíde brigou com Aidar e até deu um soco no mandatário, durante uma reunião da cúpula do clube em um hotel de São Paulo. Depois, Ataíde enviou um e-mail revelando que tinha uma gravação que comprava desvio de dinheiro do presidente.

“Ele paga honorários pra mim. Só isso. E eu repasso a você em dinheiro. Não é nem em cheque, não tem rastro nenhum, nem pra você, nem pra mim”, disse Aidar para Ataíde no áudio, revelado nesta quinta. “É batom na cueca, porra? Eu não quero esse dinheiro. O que eu não quero é que você vá mexer no futebol. Não vou falar pra ninguém. Não quero dinheiro de nada. Eu sou um duro, mas nunca fiz nada de errado. Fiquei triste quando você me ofereceu o dinheiro, porque você achou que eu tocava essas coisas”, respondeu Ataíde.

Minutos depois, Aidar afirma que o então vice-presidente de comunicações e marketing, Douglas Schwartzmann, tinha por hábito pedir 15% de comissão em todos os contratos do clube. O ex-mandatário ainda escuta do vice de futebol a acusação de favorecer a namorada no contrato com a Under Armour para fornecimento de material esportivo. “Caiu na minhas mãos o acordo que a Cinira fez com a Under Armour. Ela recebeu R$ 1 milhão e dez parcelas de 500 mil, a última termina em julho de 2019”.

audio-aidar-sp-1-171215

audio-aidar-sp-2-171215

audio-aidar-sp-3-171215

Durante a apresentação do áudio, Ataíde afirmou que decidiu gravar o então presidente por estar irritado com uma série de irregularidades na gestão, como, por exemplo, desvio de dinheiro em outras transferências anteriores de jogadores como Douglas e Denilson, além de decidir e resolver sozinho as contratações de Alan Kardec e Wesley sem consultar o departamento de futebol.

O aúdio foi gravado dois dias antes dos dois dirigentes brigarem durante reunião da diretoria em hotel na capital paulista. O episódio da discussão e também a gravação são alvo de investigação da Comissão de Ética do clube, formada por cinco membros. O grupo teve alterações em três dos integrantes nesta semana.

A gravação foi divulgada pela primeira vez na manhã desta quinta-feira para a imprensa. Os conselheiros do São Paulo e demais membros da diretoria do clube ainda não tiveram acesso à reprodução do material.

Fonte: Yahoo!

Scroll Up