Associação Comercial e Empresarial de Botucatu apresenta propostas para flexibilizar as restrições no comércio

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

A Associação Comercial de Botucatu (ACEB) encaminhou, na última sexta-feira, 29 de janeiro, ofício ao Prefeito de Botucatu, Mário Pardini, em que propõe a implementação de medidas que poderão diminuir os impactos causados com as medidas restritivas impostas ao comércio, provocadas pela Fase Vermelha do Plano São Paulo de combate à pandemia de Covid-19. 

O documento foi entregue pelo presidente da ACEB, Emílio Angella Neto, ao Secretário de Desenvolvimento Econômico, Relações Institucionais e Trabalho, Junot de Lara Carvalho.

Entre os pedidos estão a abertura do comércio aos finais de semana, por 12 horas; abertura dos serviços ditos não essenciais, por 5 horas, de segunda a sexta-feira; implantação de um sistema de cogestão, no qual um comitê formado por autoridades políticas, médicos e representantes da classe empresarial possam adotar protocolos próprios de acordo com a realidade local; criação de uma Central de Denúncias, via WhatsApp, para facilitar as denúncias de descumprimento dos decretos relacionados às ações de enfrentamento a Covid-19; criação de um plano de fiscalização, composto pela Secretaria de Saúde, Guarda Civil Municipal, Polícia Militar e Ministério Público, direcionado a combater aglomerações e eventos que contribuem para o contágio da Covid-19.

Outras propostas concentram estratégias para que o comércio formal possa oferecer segurança e tranquilidade para seus clientes, especialmente na região central, sendo necessário que as autoridades atuem no sentido de coibir a presença de informais e de grupos que ameacem o livre trânsito das pessoas. 

Foi solicitada a elaboração de um plano de retomada econômica local, que terá colaboração ativa da ACEB. Entre as principais medidas está a criação de um Projeto de Lei Municipal sobre a moderna prática comercial já adotada por outras cidades, de que o comerciante de rua seja livre para definir seu horário de funcionamento, gerando isonomia junto aos shoppings, aumentando as vagas de emprego, e, principalmente, o resgate da competitividade com a extensão de suas atividades no período noturno.

“Todas as propostas apresentadas foram discutidas amplamente com nossos associados, comerciantes, prestadores de serviços e outros segmentos do setor produtivo. Vivemos um momento delicado e crítico, tanto em questão da Saúde Pública, quanto da economia. Temos a plena consciência de que a saúde da população é essencial, mas o setor produtivo, em especial o comércio e serviços, devem continuar com suas atividades, adotando protocolos de higiene e segurança, algo que muitos empresários já realizavam. A perspectiva é que muitas empresas venham a fechar suas portas caso a Fase Vermelha prossiga por muito tempo, o que deve gerar desemprego e impactar negativamente em nossa economia. Desde  o início da pandemia, tanto o comércio, quanto serviços, se adequaram para atender todas as exigências sanitárias”, ressaltou o presidente da ACEB, Emílio Angella Neto. 

A ACEB também aproveitou para anunciar um novo projeto em parceria com o SEBRAE, o “SOS Empreendedor”, que servirá para auxiliar os empreendedores na busca de práticas inovadoras para os negócios.

O ofício na íntegra pode ser acessado aqui: https://cutt.ly/yktDC03

Flávio Fogueral – Jornal Leia Notícias

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes