As joias arquitetônicas da Ucrânia em risco com invasão russa

No dia em que as tropas russas invadiram a Ucrânia, o presidente do país, Volodymyr Zelensky, apareceu em um vídeo que circulou nas redes sociais posando em frente a uma estrutura grandiosa no centro de Kiev.

Casa com Quimeras em Kiev

Casa com Quimeras em Kiev (Foto: Reprodução/BBC)

É a Casa com Quimeras, ou Casa Gorodetsky, uma impressionante construção projetada pelo arquiteto polonês Władysław Horodecki (conhecido por alguns como o “Gaudí ucraniano”, em alusão ao célebre arquiteto espanhol Antoni Gaudí) e erguida no início do século 20.

Presidente da Ucrânia Volodymyr Zelensky na frente da Casa com Quimeras
Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, gravou um de seus primeiros vídeos em frente à Casa com Quimeras (Foto: Reprodução/BBC)

Localizada em frente ao palácio presidencial na capital ucraniana, a estrutura é tão única que serviu a Zelensky para informar ao mundo que ele ainda estava na Ucrânia, apesar do perigo, e enfrentaria uma invasão de seu país.

Hoje, dias após o início da invasão e quando começam a ser vistas as imagens do drama humanitário que se desencadeou na ex-república soviética, alguns especialistas expressam preocupação com as muitas joias arquitetônicas que, assim como a Casa com Quimeras, dão à Ucrânia um lugar especial na arquitetura mundial.

“Acordo todas as manhãs com medo de que destruam a Catredral de Santa Sofia, no centro da cidade”, diz Titus Hawryk, que escreveu um dos livros mais reconhecidos sobre arquitetura ucraniana: “A arquitetura perdida de Kiev”, em entrevista à BBC News Mundo, o serviço de notícias em espanhol da BBC.

Edifícios da era soviética em Kiev
Edifícios da era soviética em Kiev (Foto: Reprodução/BBC)

A Catedral de Santa Sofia de Kiev, construída para rivalizar com a Santa Sofia de Constantinopla (“Hagia Sophia”, que foi catedral e depois mesquita, atualmente um museu) em Istambul, na Turquia, é um complexo de edifícios monásticos que adorna a capital ucraniana com suas cúpulas douradas que brilham ao sol.

Praça da independência Maidan Nezalezhnosti em Kiev
Praça da independência Maidan Nezalezhnosti em Kiev (Foto: Reprodução/BBC)

Hawryk explica que a arquitetura da cidade em particular já foi vítima de ataques russos anteriormente. Algumas das antigas construções foram perdidas.

Catedral de Santa Sofia, em Kiev
Catedral de Santa Sofia, em Kiev (Foto: Reprodução/BBC)

“Na década de 1930, os bolcheviques depredaram inúmeras estruturas e, durante esse ataque, destruíram a igreja de cúpula dourada que fora construída na Idade Média”, assinala Hewryk.

Além disso, explica o especialista, existem estruturas antigas na Ucrânia, como as igrejas de madeira, muito mais vulneráveis aos ataques durante o conflito.

Igrejas de madeira do leste da Ucrânia
Igrejas de madeira do leste da Ucrânia (Foto: Reprodução/BBC)

“Por exemplo, no leste da Ucrânia, onde estamos vendo tanta destruição, existem as antigas igrejas de madeira… A maioria delas foi construída por pessoas nos vilarejos e algumas atingiram alturas incríveis.”

Kiev ao entardecer
Kiev ao entardecer (Foto: Reprodução/BBC)

Hewryk diz que alguns especialistas consideram o trabalho em madeira na Ucrânia um dos mais importantes da Europa.

A preocupação estende-se também aos centros históricos de algumas cidades do país, particularmente o de Lviv, considerado pela Unesco (braço da ONU para educação e cultura) como patrimônio mundial.

Praça Rynok, em Leópolis
Praça Rynok, em Leópolis (Foto: Reprodução/BBC)

“Estamos profundamente preocupados”, diz Lazare Eloundou, diretor do Centro do Patrimônio Mundial da Unesco, à BBC News Mundo.

“No momento, o patrimônio de Kiev é extremamente importante. Tememos que a destruição seja grande e uma perda para a humanidade por sua importância social, por seus mosteiros, por todos os seus museus. Isso deve ser preservado por seu maravilhoso valor mundial”.

Soma-se a isso o risco enfrentado pelas estruturas construídas durante a era soviética, apesar da ironia que isso possa representar.

“Escrevi um artigo sobre Kharkiv na década de 1920. Durante os tempos soviéticos, os russos mudaram a capital de Kiev para Kharkiv. E começaram a construir um complexo de prédios governamentais. Ele é único na Europa porque se trata de uma série de estruturas construtivistas”, diz Hewryk.

“Comecei dizendo que minha primeira preocupação do dia era Hagia Sophia, porque minha segunda preocupação é essa estrutura construtivista da década de 1920.”

Eloundou argumenta, por fim, que qualquer “esforço intencional para destruir o patrimônio cultural pode ser considerado um crime de guerra”.

Fonte: BBC