Artigo: Trilhas em montanha: como saber a hora certa de ir? – Elis Junior – Geógrafo e Montanhista

Com o final da Primavera e começo do Verão, a temporada de montanhismo no Brasil literalmente vai por água abaixo. São diversos os fatores que impedem a prática do montanhismo em nosso país. A começar pelo forte calor gerado no período de solstício (período que o Hemisfério Sul recebe maior incidência de raios solares) e, como se não bastasse, as chuvas e as descargas elétricas são muito comuns. Importante lembrar também que o Brasil é o país em que mais caem raios no mundo. Então não há o que questionar. Época boa para subir montanha no Brasil é no inverno, período em que as massas de ar frias e secas se predominam sobre as massas quentes e úmidas.

Mas nem tudo é poesia também no inverno, além da seca, das baixas temperaturas, ventos fortes, e os riscos de queimadas no período de estiagem, o dia começa mais tarde e termina mais cedo, ou seja, temos menos horas para chegar ao cume antes de anoitecer.

No Brasil, não há montanhas de grandes altitudes, e algumas delas você até consegue chegar ao topo em duas ou três horas, tempo suficiente para retornar antes do período de pancadas de chuva.

Dicas:
Para quem gosta de apreciar o nascer e o por do sol, no Verão recomendo o nascer do sol, pois as chances de tempestades são menores, e o desgaste da trilha também, pois não há exposição ao calor durante ela. Já no inverno pode-se apreciar o nascer e o por do sol, mas as temperaturas de ambos são muito diferentes.

Em resumo, a regra principal para realizar sua aventura, é pesquisar o clima do local que pretende trilhar. Sabendo disso, as chances de você passar “perrengues” serão pequenas e sua trilha será um sucesso.

Elis Pinto Junior
Geógrafo e Montanhista
Instagram @ellis_junior_
Guia de Montanha da Agência Atlas Mochileiros