Apostas digitais: um mercado em crescimento no Brasil e no mundo

Com as restrições de circulação, produção e consumo decorrentes da pandemia, a grande maioria dos setores econômicos mundiais observou forte queda, situação que começou a ser revertida, parcial e gradualmente, apenas em 2022, e de forma desigual em relação aos diferentes países.  

Neste contexto, o mercado de apostas se sobressai como sendo um dos poucos setores que apresentou crescimento durante 2020 e 2021, no Brasil e no mundo, mesmo com as restrições e dificuldades sociais, econômicas, políticas e sanitárias causadas pela pandemia. 

O isolamento social na verdade acaba sendo um dos fatores para o crescimento de plataformas como a casadasapostas.org e outras diversas novas opções de apostas esportivas digitais que são lançadas a todo momento.

Com mais oportunidade e tempo para apostar, por conta do isolamento social, as pessoas passaram a maior parte de seus dias em casa e tiveram muitas outras opções de lazer, descanso e entretenimento limitadas ou interrompidas. 

Além da pandemia, outros fatores contribuíram para o crescimento mundial do setor de apostas esportivas, como mudanças regulatórias, a expansão dos e-sports e a ampliação da infraestrutura digital e do acesso à Internet e a dispositivos móveis em boa parte do planeta. 

Para o médio e, principalmente, longo prazo, as projeções são de que esse mercado seguirá crescendo, continuando também fortemente marcado por inovações constantes e muito rápidas. O aprimoramento das ferramentas de pagamento por blockchain/criptomoedas e também de tecnologias de Realidade Aumentada, Realidade Virtual e Inteligência Artificial certamente impactarão profundamente, e de uma forma ainda não totalmente previsível, esse já importante setor da economia global. 

Cenário internacional de ascensão 

Segundo um relatório da consultoria Grand View Research, estima-se que o setor de apostas esportivas tenha movimentado cerca de U$70 bilhões em 2020. A previsão da consultoria é que o mercado cresça mais de 10% ao ano até 2028, quando poderia ultrapassar os U$140 bilhões.

Dentro deste contexto de crescimento mundial, é plausível prever crescimento de tendências que já existem hoje, como a expansão das apostas de e-sports, a ampliação do uso dos dispositivos móveis e as apostas realizadas ao vivo durante as transmissões de eventos esportivos. 

O uso de dispositivos móveis, como tablets e smartphones, para a realização das apostas esportivas já é uma realidade, e a maior parte das casas de apostas já elabora e oferece aplicativos com este objetivo. 

A estimativa é que, nos próximos anos, esse setor continue recebendo muitos investimentos, e tanto esta tendência de consolidação dos dispositivos móveis quanto a de incremento das transmissões ao vivo, que permitem uma série de interações e possibilidades de aposta, são fruto da ampliação e melhoria das condições de acesso à Internet ao redor do mundo, processo que também deve continuar se aprofundando nos próximos períodos. 

Outros fenômenos que devem continuar crescendo dentro deste setor são as consultorias e análises de dados e o uso de criptomoedas. 

Brasil também vê crescimento 

No Brasil, o cenário não é diferente do resto do mundo, com este indicativo de expansão do mercado de apostas no curto e no longo prazo também se manifestando de maneira objetiva. Nos últimos anos, sobretudo depois de 2018, quando a regulamentação do setor foi alterada no país, esta situação já se delineava. 

A Lei 13.765/18, aprovada no governo de Michel Temer, regulamenta os jogos online no interior do território brasileiro, propiciando um crescimento que já se vislumbrava nesse mercado mesmo antes da mudança na lei. 

Após a aprovação deste marco legal, diversas casas de apostas digitais surgiram no país, atuando com foco específico nos consumidores brasileiros e atraindo atenção de pessoas em todas as regiões do país. 

O número de instituições voltadas a apostadores brasileiros segue crescendo anualmente desde 2018, ultrapassando 500 em 2021. Projeções indicam que o mercado atualmente movimenta cerca de 12 bilhões de reais por ano no Brasil. 

O futebol representa cerca de 70% do volume movimentado pelo mercado brasileiro de apostas, e, como reflexo disso, as novas casas de apostas visando o público interno têm investido bastante em propagandas relacionadas ao público do esporte, seja em transmissões  esportivas seja em patrocínios para os times profissionais. 

Em 2019, oito casas de apostas patrocinaram treze times da série A do Campeonato Brasileiro em 2019, número que aumentou para onze empresas patrocinando dezessete dos vinte times que disputam a primeira divisão brasileira em 2020.  

O mercado de apostas atingiu em 2020 a 5ª posição no ranking no ranking de segmentos de patrocinadores do Brasileirão e suas equipes. 

Já no cenário global, sua presença é ainda maior. Uma pesquisa realizada com 529 clubes dos seis continentes indicou a liderança do setor de apostas, que está em primeiro lugar com 74 patrocínios considerados master, em vinte países.