Casos de Covid-19 ocupam 725 leitos da rede pública de saúde em SP

A Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo corrigiu as informações passadas mais cedo sobre internações por coronavírus em hospitais municipais. A pasta errou ao dizer em nota que 94% dos leitos clínicos da cidade estavam ocupados com casos de COVID-19.

Na correção, a secretaria afirmou que 535 leitos clínicos de internação estão ocupados por pacientes com coronavírus. Ao todo, a Prefeitura de São Paulo já reservou 1.182 leitos para atender esses pacientes.

Quanto às ocupações em UTIs, a Secretaria de Saúde afirma que aproximadamente 190 leitos estão com pacientes com COVID-19.

No total, São Paulo possui 507 leitos de UTI e mais de 3 mil leitos clínicos. A pasta pediu desculpas à reportagem pelo erro.

Leia abaixo a nota anterior enviada pela Secretaria Municipal de Saúde:

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), informa que a rede municipal dispõe de 507 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), sendo 372 leitos de UTI adulto, 135 leitos de UTI infantil e 3.240 leitos de internação.

A taxa ocupacional dos leitos de Covid-19 das unidades hospitalares é de 94% dos leitos clínicos, 65% dos leitos de UTI e 72% dos leitos de observação, com exceção aos Hospitais Municipais de Campanha (HMCamp).

A administração municipal está implantando 933 novos leitos de cuidados intensivos para auxiliar no atendimento durante o período de pandemia do coronavírus (Covid-19). Além da ampliação de leitos nos hospitais municipais, e com o objetivo de atender a demanda prevista de novos casos de coronavírus, a Prefeitura implantou os Hospitais de Campanha (HM Camp), com dois mil leitos de baixa complexidade no estádio do Pacaembu e no Anhembi, destes 80 serão leitos semi-intensivos.

As vagas nesses locais serão reguladas e disponibilizadas para pessoas que estão sendo atendidas nos equipamentos de saúde de São Paulo. O hospital M’Boi Mirim contará com novos 100 leitos.

Fonte: CBN