15 de julho, 2024

Últimas:

Tecnologias para segurança eletrônica são as mais utilizadas no varejo

Tecnologias para segurança eletrônica são as mais utilizadas no varejo

Anúncios

De acordo com uma pesquisa da Abrappe (Associação Brasileira de Prevenção de Perdas), divulgada em junho de 2022, o varejo brasileiro registrou mais de R$ 24 bilhões em perdas no ano de 2021. Mais de 75% desse valor corresponde principalmente a quebras operacionais, erros administrativos e furtos. Supermercados e perfumarias são os segmentos com os maiores índices.

Para reduzir as perdas e mitigar os riscos inerentes à operação, diversas iniciativas são adotadas pelos varejistas: de treinamentos e ajustes em procedimentos internos até inovações tecnológicas. Entre as tecnologias, os circuitos de câmeras são os mais utilizados, sendo a opção escolhida por 96,26% das empresas pesquisadas.

Anúncios

Um levantamento realizado pela Avantia, desenvolvedora de tecnologia para segurança eletrônica, com mais de 50 empresas de diversos segmentos no Brasil, também mostrou que o videomonitoramento é a ferramenta tecnológica adotada pela maioria dos pesquisados para prevenir danos. De acordo com os resultados, 52,8% utilizam monitoramento inteligente para detectar ocorrências e prevenir perdas, enquanto 45,3% adotam câmeras comuns para acompanhar movimentações e não-conformidades. O controle de acesso também foi relacionado por 30,2% das empresas respondentes como recurso para prevenção de perdas.

O relatório da Abrappe apontou ainda que, das seis tecnologias para prevenção de perdas mais utilizadas, quatro delas são da modalidade de segurança eletrônica. Além do videomonitoramento, que está em primeiro lugar, alarmes de presença (68,22%), antenas antifurto (57,94%) e controle de acesso (55,14%) também fazem parte das opções para prevenção, controle e acompanhamento de ocorrências pelos varejistas. Completando a lista das inovações mais adotadas estão as ferramentas de BI e o check list.

Anúncios

Motivos das perdas no varejo

As causas das perdas no setor varejista vão desde furtos, sejam eles cometidos por colaboradores ou pessoas externas, até problemas com refrigeração ou exposição inadequada de produtos, causando perda de itens perecíveis, com prazo de validade vencido ou danificados devido ao manuseio incorreto. Erros de inventário e fraudes também estão entre os principais motivos.

O impacto das perdas nos resultados das organizações tem contribuído para a otimização das estratégias implantadas pela área de prevenção. Entre os pontos de atenção estão o controle de processos e a segurança, prevenindo, combatendo e eliminando riscos e perdas que possam afetar diretamente a eficiência e o retorno financeiro de um negócio.

As tecnologias de segurança eletrônica a favor do varejo

A transformação digital tem impactado todos os setores. No varejo, não é diferente. Por meio de ferramentas que utilizam inteligência artificial para análise de dados e imagens, é possível identificar rapidamente padrões e inconsistências fundamentais para a tomada de decisão.

Um exemplo prático são as câmeras de monitoramento com inteligência artificial aplicada às imagens, que podem detectar necessidades de mudanças em layouts de lojas, bem como analisar o comportamento de compra do consumidor e identificar melhorias em processos.

Os circuitos de câmeras (com inteligência artificial) permitem ainda a geração de alarmes automáticos caso alguma ocorrência seja identificada. Além disso, geram uma base estratégica de dados, possibilitando analisar anomalias e eventos ocorridos em um determinado período. Entre eles:

  • Objetos deixados ou retirados indevidamente;
  • Abuso de permanência, reconhecendo um comportamento suspeito;
  • Cruzamento de linha e monitoramento de uma determinada área;
  • Mapa de fluxo, auxiliando no estabelecimento de estratégias para agilizar o atendimento;
  • Mapa de calor, identificando áreas com pouco ou muito movimento.

O videomonitoramento possibilita, inclusive, detectar desde furtos até desvios de padrão em processos e procedimentos operacionais. Analíticos de áudio podem ser incorporados às câmeras, alertando em caso de ocorrências como arrombamento, explosão, vidro quebrado e até mesmo disparo de arma de fogo.

A Avantia tem 24 anos de atuação no país e atende clientes com integração de sistemas e implementação de soluções tecnológicas baseadas em inteligência artificial.

Talvez te interesse

Últimas

Evento promovido pela ABIH Nacional terá como tema central “Liderança que Conquista Resultados”...

Categorias