Wada descobre uso de sósias para fraudar antidoping de atletas do levantamento de peso

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Sob ameaça de deixar o programa das Olimpíadas, o levantamento de peso sofreu mais um golpe duro nesta quinta-feira. A Agência Mundial Antidoping (Wada) divulgou o resultado parcial da investigação em andamento sobre as práticas de controle de dopagem da modalidade. Um novo método de análise comprovou a adulteração de amostras de urina, e as apurações indicaram a utilização de sósias se passando por atletas durante o exame antidoping. São suspeitos 18 atletas de seis países, que ainda não tiveram seus nomes revelados.

A descoberta foi do departamento independente de Inteligência e Investigações da Wada após mais de três anos de apuração. A operação inclui investigações sobre alegações de que um membro da Federação Internacional de Levantamento de Peso (IWF) recebeu propina para acobertar atletas russo. Há também alegações de um esquema organizado de proteção aos atletas romenos. Mas os resultados divulgados nesta quinta tratam principalmente sobre adulteração de amostras em exames antidoping.

Por meio de um novo método de análise de DNA, a investigação identificou os 18 casos suspeitos de atletas de seis países. O departamento de Inteligência e Investigação da Wada encontrou evidências de que sósias se passaram por atletas no momento do exame para fornecer amostras de urina livres de substâncias proibidas.

Além dos atletas, foram investigadas outras pessoas que podem estar envolvidas na facilitação da fraude, incluindo membros de comissões técnicas e agentes de controle de dopagem. As descobertas foram encaminhadas para a Agência Internacional de Testes (ITA), contratada pela IWF para administrar de forma independente os exames antidoping da modalidade.

– A WADA está chocada com o que seu Departamento de Inteligência e Investigações descobriu nesta apuração. Por muito tempo, os levantadores de peso limpos tiveram que lidar com uma cultura arraigada de doping em seu esporte, onde a promoção do medo garantiu que a verdade permanecesse escondida e que aqueles que queriam fazer a coisa certa fossem isolados. Mais uma vez, isso mostrou a importância da informação do denunciante e a diferença positiva que pode ser feita quando as pessoas com informações têm coragem de se apresentar. A inteligência de fontes confidenciais bem posicionadas, juntamente com o trabalho diligente da Inteligência e Investigações da WADA, está entregando resultados significativos em uma série de investigações – disse o presidente da Wada, Witold Bańka.

Acobertamento de doping e corrupção estão no centro de um escândalo nos bastidores da IWF. O ex-presidente da entidade, Tamás Aján é acusado de chefiar o esquema fraudulento. Uma recente troca no poder da IWF gerou preocupação no Comitê Olímpico Internacional (COI), que voltou a ameaçar excluir o esporte das Olimpíadas a partir dos Jogos de Paris, em 2024.

Ex-presidente da Federação Internacional de Levantamento de Peso, Tamás Aján — Foto: Ibrahim Yozoglu/Anadolu Agency/Getty Images
Ex-presidente da Federação Internacional de Levantamento de Peso, Tamás Aján (Fotos: Reprodução)

Fonte: G1

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes