Você sabia? Botucatuense foi o primeiro jogador negro do futebol japonês

O botucatuense Dorival Carlos Esteves, conhecido por Kalé, foi o primeiro negro a jogar no futebol japonês, quando chegou ao Yanmar Diesel de Osaka (depois Cerezo Osaka), em 1968.

Dorival, que recebeu o apelido de Kalé pela sua semelhança física com Pelé, nasceu em Botucatu no dia 5 de março de 1947.

Lateral-direito, Kalé começou sua carreira pela Ferroviária de Botucatu, nos infantis, e tornou-se profissional pelo mesmo clube, logo após a saída do também lateral-direito Zé Maria, o Super Zé, para a Portuguesa de Desportos.

Kalé foi contratado pelo Juventus de São Paulo, onde atuou ao lado de Milton Buzzeto, Mão de Onça e Pando, entre outros importantes nomes que passaram pela time da Mooca.

Emprestado ao SAAD, clube de São Caetano do Sul, retornou ao Juventus para ser contratado pelo Yanmar Diesel de Osaka, no Japão, onde permaneceu entre 1968 e 1973, conquistando quatro títulos (bicampeão do Campeonato Japonês e a Taça do Imperador por duas vezes).

Foi eleito o melhor lateral-direito do futebol japonês por três anos consecutivos (chuteira de ouro, em 1970/71/72). De estilo ofensivo, Kalé marcou vários gols pelo time japonês, incluindo um em seu jogo de estreia, em 26 de dezembro de 1968.

Kalé marcou seu primeiro gol pelo Yanmar Osaka logo em sua estreia, em 26 de dezembro de 1968. No jornal Sankei Sport o lance ganhou até uma animação, mostrando a trajetória da bola chutada por Kalé, que encobriu o goleiro. Reprodução/arquivo pessoal de Kalé

Após encerrar sua carreira, Kalé passou a ministrar clínicas de futebol no Japão, onde permaneceu até 2005, ano em que retornou ao Brasil. “Fui o primeiro negro a atuar no futebol japonês e nunca sofri preconceito. Sempre fui muito respeitado e querido no Japão, um país maravilhoso”, disse Kalé em entrevista ao Portal Terceiro Tempo.
Hoje, com 68 anos, Kalé mora na Cidade de Americana. 

 

Filho também fez sucesso

Um dos filhos de Kalé também fez sucesso no esporte, só que com as mãos.

Marcos Sugiyama  Esteves “Kalé”. Ele, que herdou o apelido do pai, participou da histórica equipe de vôlei da Associação Atlética Botucatuese (AAB) na década de 1990, que foi campeã do interior e vice estadual, na categoria juvenil. Nesta época chegou a defender a Seleção Brasileira.

Marcos Kalé ainda passou por grandes clubes brasileiros e disputou o Campeonato Italiano, mas seu grande sucesso, assim como seu pai, foi no Japão. Após brilhar no Campeonato Japonês, Kalé foi convocado para a Seleção Japonesa e atuou por 5 anos. Pela seleção do Japão ele foi campeão da Copa da Ásia, em 1990.

 

 

Leia Notícias – com informações do site TT

Scroll Up