União Europeia anuncia pacote de quase R$ 2 trilhões para conter influência da China no mundo

A União Europeia (UE) anunciou nesta quarta-feira (1°) um ambicioso plano para investir até € 300 bilhões (cerca de R$ 1,9 trilhão) de fundos públicos e privados até 2027 em projetos de infraestrutura pelo mundo. O objetivo é conter a influência global da China.

Desde que o governo chinês lançou, em 2013, o projeto batizado de “Novas Rotas da Seda”, o mundo vem assistindo a uma expansão do gigante asiático em várias áreas. O programa, marco da administração do presidente Xi Jinping, visa desenvolver infraestrutura terrestre e marítima para conectar melhor a China com a Ásia, Europa e África. Resultado: atualmente locais como o porto de Pireus na Grécia, Trieste na Itália,ou ainda Djibouti, na Etiópia, são controlados por empresas chinesas. O mesmo acontece com linhas ferroviárias que atravessam parte do continente africano, transportando mercadorias fabricadas na China para esses mesmos portos.

Os países ocidentais consideram o plano uma ferramenta para expandir a influência da China sobre os países em desenvolvimento e acusam Pequim de incitar licitações não transparentes a um endividamento exacerbado. Além disso, os ocidentais suspeitam de práticas corruptas e denunciam violações dos direitos humanos, sociais e ambientais.

A União Europeia já havia tentado lançar um projeto do gênero em 2018, mas a ideia não teve sucesso. “A iniciativa não teve apoio político, pois foi considerada como uma ingerência do funcionamento dos mercados”, explica a professora.

Fonte: Yahoo!

Scroll Up