Turquia barra sírios, iraquianos e iemenitas em voos a Belarus para conter crise migratória

A Turquia barrou sírios, iraquianos e iemenitas em voos para Minsk, nesta sexta-feira, possivelmente interditando uma das rotas usadas por imigrantes que a União Europeia diz terem sido enviados por Belarus para criar uma crise humanitária deliberada em sua fronteira.

Milhares de imigrantes, a maioria do Oriente Médio, estão se abrigando sob temperaturas congelantes nas florestas das fronteiras entre Belarus e Polônia e Lituânia, ambas integrantes da UE que estão se recusando a lhes dar passagem. Alguns já morreram, e há temores a respeito da segurança dos restantes agora que as condições duras do inverno se instauram.

A UE acusa Belarus de criar a crise como parte de um “ataque híbrido” ao bloco, distribuindo vistos bielorrussos no Oriente Médio, transportando os imigrantes de avião e incentivando-os a tentarem cruzar a divisa ilegalmente. A UE pode impor novas sanções a Belarus e a empresas aéreas que culpa por transportar os imigrantes já a partir de segunda-feira.

Belarus nega ter forjado a crise, mas também diz que tampouco pode ajudar a resolvê-la a menos que a Europa suspenda sanções prévias, que a UE adotou para punir o presidente Alexander Lukashenko por uma repressão violenta a protestos de rua em massa contra seu governo em 2020.

A Turquia nega desempenhar um papel direto permitindo que seu território seja usado para trasladar imigrantes, mas o site do aeroporto de Minsk listava seis voos chegando de Istambul nesta sexta-feira — a maior quantidade de qualquer cidade de fora da antiga União Soviética.

Fonte: Yahoo!

Scroll Up