Tremor de terra assusta moradores no interior de SP

Acordar com um tremor de terra no dia do aniversário é uma experiência para se recordar e foi justamente o que aconteceu com a funcionária pública Alessandra Saudino. Ela é moradora de Guaimbê, no interior de SP, e conta que estava dormindo no momento do tremor de terra registrado na cidade no início da manhã desta quarta-feira (15).

Alessandra diz que se assustou ao acordar com o barulho causado pelo fenômeno, mas brinca dizendo que foi um como um “chacoalhão” para a vida no dia em que completou 36 anos.

“Minha alma saiu e voltou do corpo [risos]. Isso sim é levar um chacoalhão pra vida. Mas estou feliz por acordar e saber que estou viva e pude presenciar esse fenômeno da natureza. Como dia a querida Ana Maria ‘Acorda menina’ e a vida vai e me sacode.”

Tremor em Guaimbê foi registrado nesta quarta-feira (15) — Foto: Reprodução/TV TEM

Tremor em Guaimbê foi registrado nesta quarta-feira (15) — Foto: Reprodução/TV TEM

Alessandra diz ainda que saiu correndo para a rua sem entender o que aconteceu e achou até mesmo que pudessem ser gatos no telhado, mas se deparou com a vizinha perguntando se ela também havia sentido o tremor.

“Eu estava dormindo e por volta das 6h10 da manhã fui acordada com minha janela chacoalhando. Eu saí correndo para fora, achei que era gato brigando no telhado, mas me deparei com a vizinha também assustada me perguntando se eu senti a terra tremer e foi onde constatei que era tremor. Meu espelho caiu e quebrou todo.”

O Centro de Sismologia da USP detectou o tremor e, segundo a universidade, a Rede Sismográfica Brasileira registrou o tremor de terra, de magnitude de 3.6, com epicentro na cidade às 6h09. O abalo foi sentido entre Júlio Mesquita e Lins (SP), que ficam a cerca de 30 km de Guaimbê.

O barulho das janelas e portas da casa da conselheira tutelar, Aline Barrachi, também foram o que despertaram a família que acordou assustada com o tremor. Aline relembra que o tremor durou apenas alguns segundos, mas foi o suficiente para deixar todos assustados.

“Foi por volta das 6h10. Tudo começou a tremer, portas, janelas, um barulho assustador e uma sensação horrível. Dessa vez foi mais forte e mais longo que o tremor que aconteceu em março deste ano. Durou cerca de 10 segundos.”

Tremor em Guaimbê foi registrado pelo Centro de Sismologia da USP  — Foto: Centro de Sismologia da USP/ Reprodução

Tremor em Guaimbê foi registrado pelo Centro de Sismologia da USP — Foto: Centro de Sismologia da USP/ Reprodução

A conselheira tutelar fala que apesar de não ter saído de casa, viu a movimentação intensa dos vizinhos saindo na rua e os cachorros latindo. Após o tremor, ela e sua mãe relatam que tiveram tontura e enjoos.

“Eu estava em casa, estou de férias e estava dormindo. Acordei muito assustada. Aí já ouvi os vizinhos e os cachorros todos alvoroçados. Eu não sai de casa, fiquei com tontura e minha mãe também. O meu estômago ficou revirado, como se fosse labirintite. Algumas pessoas relataram os mesmos sintomas.”

Essa é a segunda vez neste ano que tremores são sentidos em Guaimbê. Em março, o Centro de Sismologia da USP registrou um tremor de terra de magnitude 3.0.

De acordo com o professor do Centro de Sismologia da USP, Marcelo Assumpção, o tremor é considerado de magnitude pequena e compatível com o fato de ter sido sentido num raio de 30 km.

Moradores contaram nas redes sociais que sentiram tremor de terra em Guaimbê — Foto: Reprodução/Facebook

Moradores contaram nas redes sociais que sentiram tremor de terra em Guaimbê — Foto: Reprodução/Facebook

“Pequenos tremores assim podem ocorrer em qualquer lugar do Brasil e se devem a pressões geológicas presentes da crosta terrestre. Não sabemos exatamente por que já ocorreram outros tremores em Guaimbê anteriormente, mas não é raro que algumas localidades no Brasil tenham tremores um pouco mais frequentes do que outras”, explica.

O professor explica que tremores de magnitude até 4 raramente provocam algum dano, apenas susto em locais não acostumados com esse tipo de evento.

Outro tremor em Guaimbê foi registrado pelo Centro de Sismologia da USP em março deste ano — Foto: Centro de Sismologia da USP/ Reprodução/ Arquivo

Outro tremor em Guaimbê foi registrado pelo Centro de Sismologia da USP em março deste ano — Foto: Centro de Sismologia da USP/ Reprodução/ Arquivo

Fonte: G1

Scroll Up