Tecnologia antiviral em roupas: como funciona?

A pandemia do novo coronavírus criou uma situação atípica em todo o mundo. Diversos setores se mobilizaram rapidamente com o objetivo de conter a transmissão do vírus que tomou conta do mundo em apenas alguns meses.

A indústria da moda foi um desses setores: a produção de Equipamento de Proteção Individual (EPIs) foi intensificada enquanto outras soluções eram pesquisadas nos laboratórios têxteis. Em poucos meses, a indústria criou uma tecnologia antiviral que pode ser aplicada nas fibras.

Esse mecanismo permitiu a criação de tecidos antivirais, usados na confecção de máscaras e roupas. Desse modo, as peças oferecem uma proteção extra àqueles que precisam sair de casa durante a crise sanitária. A seguir, entenda como a tecnologia funciona e quais são os seus benefícios.

Como funciona a tecnologia antiviral?

Diversas empresas investiram em pesquisas para a criação de um tecido que inativa o vírus. Por isso, existem diferentes tecnologias disponíveis no mercado. No entanto, elas funcionam de maneira similar.

A nanotecnologia foi uma grande aliada na produção do tecido antiviral. Isso porque ela permitiu a diminuição da prata em escala nanométrica, o que aumenta a capacidade germicida dessa substância.

As empresas criaram um composto que contém íons de prata e pode ser aplicado na fibra do tecido ou na roupa depois de pronta. Essa escolha irá depender do processo de fabricação de cada marca.

A tecnologia funciona da seguinte forma: quando o vírus entra em contato com o tecido, ele é desativado. Isso acontece porque a solução consegue desestabilizar a barreira lipídica do vírus, inativando o seu RNA e DNA.

Qual é a vantagem dessa tecnologia?

O principal meio de transmissão do Sars-CoV-2 são as secreções, como gotículas de saliva contaminadas. Quando uma pessoa com Covid-19 espirra ou tosse, ela libera gotículas no ambiente, que podem ser inaladas pelas pessoas próximas.

Sabendo disso, a Organização Mundial da Saúde indicou o uso de máscaras de proteção. Desse modo, as máscaras funcionam como uma barreira física contra o vírus, impedindo que ele entre em contato com as vias aéreas. Além disso, elas evitam que as pessoas contaminadas liberem uma grande quantidade de gotículas nos ambientes.

Entretanto, as máscaras tornaram-se escassas durante a pandemia, porque deveriam ser utilizadas, principalmente, pelos profissionais da saúde. Diante dessa situação, o Ministério da Saúde sugeriu que a população utilizasse máscaras de pano, que podem ser feitas em casa.

A máscara de pano tradicional oferece cerca de 50% de proteção, sendo menos eficiente que os modelos PFF2 e cirúrgico. No entanto, a criação dos tecidos antivirais forneceu uma opção mais reforçada para a população, já que a tecnologia desativa o vírus.

A tecnologia dura por quanto tempo?

Atualmente, existem diversas tecnologias antivirais disponíveis no mercado. Por isso, é importante verificar as indicações do fabricante em relação ao produto. Na maioria dos casos, a tecnologia perde o efeito depois de um determinado número de lavagens.

No entanto, já existem produtos que trabalham com uma tecnologia permanente. Então, para evitar equívocos e desapontamentos, é importante verificar quantas lavagens o produto aguenta antes de perder a capacidade antiviral.

Além disso, é necessário saber por quantas horas o produto pode ser usado. Máscaras de pano tradicional precisam ser trocadas a cada quatro horas, por exemplo. Contudo, alguns produtos antivirais podem ser usados durante todo o dia, sem necessidade de troca, o que facilita a rotina de quem precisa sair de casa para trabalhar.

Outros cuidados não devem ser dispensados

Os níveis de transmissão da Covid-19 continuam altos no Brasil. Por isso, indica-se que a população saia de casa apenas para realizar atividades essenciais, evitando aglomerações desnecessárias. Além disso, vale lembrar que a utilização da máscara de proteção é obrigatória.

Evitar ambientes com grande quantidade de pessoas e fazer distanciamento social são as melhores maneiras de se prevenir contra o novo coronavírus. Hábitos como lavar as mãos com frequência, utilizar álcool em gel e evitar levar as mãos ao rosto também são muito importantes.

Scroll Up