Suspeito de matar ex por ciúme tinha mais três namoradas, diz delegado

O morador de Itapeva (SP) Márcio da Silva, de 31 anos, suspeito de matar a ex-namorada Andressa Bini, de 29 anos, por ciúme, tinha outras três namoradas, segundo o delegado responsável pelo caso Alaor de Aguiar Filho. Márcio foi preso nesta terça-feira (28) após confessar que havia assassinado a ex na noite de segunda-feira (27) e escondido o corpo dela em uma represa no bairro Pilão D’Água. Segundo ele, o motivo do crime foi ciúme pelo fato da jovem estar em outro relacionamento.

De acordo com o delegado Alaor, após matar Andressa, Márcio pegou a motocicleta da vítima e escondeu o veículo na casa de uma das namoradas. Em seguida, ele fez o mesmo com a placa da moto, levando para a casa de outra namorada. Para ambas, ele teria mentido sobre a procedência do veículo e da placa.

“Ele acabou escondendo a moto na casa de uma e a placa na casa de outra. Contudo, essas duas mulheres não serão responsabilizadas, até então, pelo homicídio, porque não há provas que elas tenham o ajudado no caso. Mas as investigações irão prosseguir”, afirma o delegado.

Andressa foi assassinada e ex-namorado é suspeito (Foto: Reprodução/Facebook)
Andressa foi assassinada e ex-namorado é suspeito (Foto: Reprodução/Facebook)

Segundo o delegado, Márcio alegou que mantinha três relacionamentos e contou que as namoradas não sabiam que ele também se relacionava com as outras. “Em depoimento, ele afirmou que as conquistou por rede social. Apesar de estar nesses relacionamentos, ele acabou matando a ex porque ela estava namorando outro homem”, afirma.

Andressa foi enterrada na tarde desta quarta-feira (29) no Cemitério Ecumênico de Itapeva, segundo funerária responsável pelo caso. Márcio da Silva está preso e responderá pelos crimes de homicídio qualificado, ocultação de cadáver, feminicídio, traição (por usar da confiança da vítima) e emboscada.

Ainda de acordo com o delegado, o caso continuará sendo investigado pela Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), que aguarda laudos do Instituto Médico Legal (IML) sobre a causa da morte e da perícia criminal sobre detalhes do local do crime.

Entenda o caso

O corpo da cabelereira Andressa Bini foi encontrado na represa Pilão D’Água na noite desta terça-feira (28). Segundo a polícia, Andressa saiu de casa de motocicleta na noite desta segunda-feira (27) para ir para a casa do ex-namorado. Segundo a família, ela teria mentido e afirmado que iria ao supermercado. Horas depois, a família chamou a polícia devido ao desaparecimento da vítima.

Segundo o delegado, a polícia procurou por Andressa durante a madrugada de terça-feira (28). Na tarde do mesmo dia, os policias foram à casa do ex-namorado, que confessou que havia matado a jovem a pauladas e a enforcado por ciúme, pois ela estaria se relacionando com outro homem.

Ainda segundo a polícia, o ex contou que chamou a vítima para conversar e, durante o encontro, os dois acabaram discutindo. Durante a briga, ele a agrediu com um pedaço de pau e, em seguida, segundo a Polícia Civil, o suspeito contou que levou a jovem às margens da Represa Pilão D’Água, perto da casa dele.

No local, ele a enforcou usando um cadarço e a jogou na represa. Mesmo na água, ele teria dado mais golpes e, após matá-la, encobriu o corpo da cabelereira com grama. Em seguida, fugiu e foi para a casa da namorada.

Fonte: G1