21 abril, 2024

Últimas:

SP deve permanecer na fase vermelha se a emergencial não for novamente prorrogada, aponta coordenador do Centro de Contingência da Covid

Anúncios

O coordenador-executivo do Centro de Contingência do Coronavírus em São Paulo, João Gabbardo, disse nesta segunda-feira (5) que o estado deve permanecer na fase vermelha da quarentena, caso a fase emergencial não seja novamente prorrogada.

“Infelizmente os dados apontam para uma necessidade de manutenção da fase vermelha”, afirmou Gabbardo em entrevista ao Bom Dia SP nesta segunda-feira (5).

Anúncios

Em vigor desde o dia 15 de março, a fase emergencial, a mais restritiva do plano de flexibilização econômica estadual, foi prorrogada até o dia 11 de abril.

De acordo com Gabbardo, a decisão sobre a mudança ou manutenção de fase será definida pelos 21 membros do Centro de Contingência ao longo desta semana.

Anúncios

“Os números não são números que nos deem algum otimismo em relação a flexibilizar ou sair da fase vermelha”, defendeu o médico.

Segundo ele, após seis semanas de alta, no último sábado (3) houve uma pequena queda no número de novos casos e internações, mas as mortes continuam em alta.

“A gente acredita que até o final dessa semana os números podem ser melhores, mas a fase ainda é muito difícil, números muito elevados, ainda estamos passando pela pior fase da pandemia, sem nenhuma dúvida”, afirmou o coordenador do Centro de Contingência.

Abril ‘ainda pior’, diz secretário municipal da Saúde

Para o secretário municipal da Saúde, Edson Aparecido, em abril a escalada de mortes por Covid na capital paulista deve continuar acelerada. “Nossos técnicos avaliam um mês de abril ainda pior”.

Segundo ele, o isolamento melhorou durante o recesso mas o reflexo do feriado estendido será sentido apenas daqui a 15 dias. “A Prefeitura tem toda uma medição bastante rigorosa que é o número de movimentação nas catracas de ônibus, o registro de trânsito pelos automóveis particulares pelos radares e também as notas fiscais emitidas nos comércios. É possível verificar que durante essa semana, houve uma redução grande de mobilidade”.

O secretário informou que neste domingo (4) houve uma pequena queda na taxa de ocupação dos leitos na cidade de São Paulo, e foi de 92% para 90% no leitos de UTI, e de 88% para 84% em enfermaria.

“Mas são taxas altíssimas e temos que fazer com que a gente consiga segurar a transmissibilidade na cidade”, disse Aparecido.

Fonte: G1 – Imagem de Engin Akyurt por Pixabay

Últimas

Botucatu: Polícia Militar prende homem com armas, munições e drogas no Parque Marajoara

21/04/2024

Anúncios Na última sexta-feira, dia 19, por volta das 21h uma operação da Polícia Militar no...

Categorias