Soltura de peixes, plantio e teatro marcam preservação do Ribeirão Lavapés, em Botucatu

Mais de 120 crianças e adolescentes, alunos do CEI – “Nair Fernandez Leite Vaz”, da escola estadual “Sophia Gabriel de Oliveira” e do projeto “Integra”, participaram nesta quarta-feira (23), no Bosque do Sossego, das atividades alusivas ao Dia do Ribeirão Lavapés. O evento, organizado pela Secretaria de Meio Ambiente e Sabesp de Botucatu, deveria ter sido realizado no dia 3 de novembro, data oficial em celebração ao Ribeirão Lavapés, mas o mesmo foi reagendado devido às chuvas.

A ação contou com apresentação de teatro de fantoches promovido por agentes da Vigilância Ambiental em Saúde, plantio de 20 árvores nativas e a soltura de aproximadamente 1 mil alevinos [filhotes de peixes] da espécie lambari. O Lavapés é um dos rios mais importantes de Botucatu, com mais de 6 km de extensão na área urbana. Em 2014, através de um esforço conjunto entre Prefeitura de Botucatu e Sabesp, ele foi reclassificado pelo Comitê de Bacias do Rio Sorocaba e Médio Tietê, ao passar da “classe 4” para “classe 3”.

De acordo com a Agência Nacional das Águas (ANA), e conforme a Lei nº 9.433, de 8 de janeiro de 1997, o enquadramento dos corpos d’água em classes de qualidade tem por objetivo assegurar a qualidade requerida para os usos preponderantes e diminuir os custos de combate à poluição das águas, mediante ações preventivas permanentes.

“Investimos em interceptores para colher e tratar esgotos que ainda era jogados de forma clandestina no rio. Também realizamos em parceria com a Prefeitura inúmeras ações de limpeza e de conscientização, especialmente junto às escolas uma vez que os alunos se tornam facilitadores desta informação nas suas próprias casas. Então aos poucos temos conseguido plantar uma consciência ecológica junto à população e hoje o Lavapés está apto a fornecer água para o abastecimento da Cidade”, argumenta Adolfo Moreira, técnico em gestão da equipe de Educação Ambiental da Sabesp.

“Tudo que a gente joga na rua vai parar no rio, mas temos que ter consciência que a água é um patrimônio da humanidade. Então é um dever, um ato de cidadania, preservar a água. Por isso o Lavapés é o principal rio de Botucatu. Vale lembrar que Botucatu possui uma lei que regulamenta o Pagamento por Serviços Ambientais (PSA), que utiliza 1% do faturamento da Sabesp para estimular que produtores rurais façam serviços ambientais dentro de suas propriedades, com objetivo de preservar a mata ciliar e os rios do seu entorno. No começo de 2017 a Secretaria de Meio Ambiente deverá lançar um edital para quem tiver interesse em aderir”, informa o secretário de Meio Ambiente, Perseu Mariani.

O Dia do Ribeirão Lavapés se tornou oficial através da Lei Municipal nº 5.810, em 22 de março de 2016, projeto de iniciativa do vereador Luiz Francisco Fonte (Fontão).

Fonte: Prefeitura de Botucatu

Scroll Up