Senadores dos EUA pedem que Biden aumente a pressão sobre Ortega

Dois proeminentes senadores dos Estados Unidos urgiram nesta segunda-feira (14) o presidente Joe Biden a aumentar a pressão sobre o governo de Daniel Ortega (foto) na Nicarágua, denunciando um autoritarismo crescente que ameaça a estabilidade regional.

O democrata Bob Menendez, presidente do Comitê de Relações Exteriores do Senado, e o republicano Marco Rubio, membro de mais alto nível do Subcomitê do Hemisfério Ocidental da Câmara Alta, pediram ao governo Biden que use “todos os instrumentos diplomáticos disponíveis para enfrentar o regime de Ortega”.

Em uma carta ao secretário de Estado, Antony Blinken, Menéndez e Rubio pediram o aumento das sanções econômicas contra funcionários da Nicarágua e o reforço do trabalho conjunto com a Organização dos Estados Americanos (OEA) para coordenar uma rejeição multilateral ao “ataque antidemocrático” do governo nicaraguense.

“O regime de Ortega está fazendo uma campanha de repressão sem limites com o objetivo de destruir as esperanças de realização de eleições livres e justas em novembro e, assim, consolidar uma terceira ditadura nas Américas”, escreveram os senadores.

Menéndez e Rubio tiveram como alvo no passado, diversas vezes, as “ditaduras” de Cuba e da Venezuela.

Na carta a Blinken, os legisladores destacaram a prisão “arbitrária” na Nicarágua dos pré-candidatos presidenciais Arturo Cruz, Félix Maradiaga e Juan Sebastián Chamorro, bem como a prisão domiciliar de Cristiana Chammorro, entre outros opositores e líderes empresariais e da sociedade civil privados de liberdade nos últimos dias.

Além disso, incentivaram o governo Biden a aplicar os protocolos do projeto de lei bipartidário para Reforçar o Cumprimento das Condições para a Reforma Eleitoral na Nicarágua (Renacer, na sigla em inglês), apresentado no final de março por iniciativa de Menéndez e Blond.

O projeto exige que os Estados Unidos aumentem a coordenação das sanções econômicas com o Canadá e a União Europeia, acompanhem mais de perto os empréstimos de instituições financeiras internacionais à Nicarágua e fortaleçam a inteligência sobre as atividades do governo russo no país centro-americano, ressaltaram.

Menéndez e Rubio condenaram no mês passado as reformas eleitorais aprovadas pelo partido no poder na Nicarágua e pediram garantias para as eleições de 7 de novembro, quando Ortega pode disputar seu quarto mandato seguido.

Fonte: Yahoo!

Scroll Up