São Paulo suspende vacinação e vai rever calendário

Diante da falta de vacinas em mais de 60% dos postos, a Prefeitura de São Paulo vai suspender hoje a aplicação da primeira dose contra a covid-19 e adiar a imunização das pessoas com 48 anos.

Por conta da escassez e da logística para o reabastecimento, apenas as pessoas que precisam tomar a segunda dose serão atendidas hoje nos postos. A repescagem para os que têm entre 50 e 59 anos foi cancelada.

A retomada da campanha ocorrerá só amanhã, mas com uma mudança no público-alvo. A previsão era de vacinar as pessoas com 48 e 49 anos, mas só os que têm 49 receberão a dose. Quem tem 48 será vacinado depois.

Secretário da Saúde, Edson Aparecido disse que a alteração no calendário – provocada pela falta de doses – pode afetar as demais faixas etárias previstas no escalonamento. As novas datas de vacinação serão confirmadas conforme a capital receba mais vacinas.

O governo do estado afirmou que houve atraso na entrega pelo Ministério da Saúde, que disse, por sua vez, que faz os repasses com base nas populações e que a responsabilidade sobre a distribuição das doses é das prefeituras.

Desde o início da campanha, essa foi a primeira vez que a capital registrou a falta expressiva de imunizantes. O problema ocorreu no momento em que as cidades paulistas tentam acelerar a vacinação do público em geral.

Na tarde de ontem, dos cerca de 480 postos fixos listados no portal De Olho na Fila, ao menos 300 tinham falta de vacinas e estavam na cor roxa, com a descrição: “não funcionando”. As zonas norte, leste e sul foram as mais afetadas.

A prefeitura afirmou que 90% do público de 50 a 59 anos (1,4 milhão de pessoas) se vacinou. Em função da alta procura, a cidade começou o dia de ontem com apenas 50 mil doses, que foram escasseando ao longo dia. “Por isso, parte das unidades registrou falta temporária do imunizante.”

Fonte: Jornal Metro

Scroll Up