Ribeirão Preto vai fechar supermercados e suspender transporte coletivo por 5 dias para conter a Covid

Ribeirão Preto (SP) terá regras mais rígidas contra a Covid-19 a partir de quinta-feira (27) até segunda-feira (31), como fechamento de supermercados para clientes internamente e suspensão do transporte público, disse o prefeito Duarte Nogueira (PSDB) em coletiva de imprensa na tarde desta segunda-feira (24).

As medidas foram tomadas diante do aumento de casos, mortes e internações por conta da doença. A nova fase foi batizada de “Emergencial Restritiva” pela Prefeitura e se assemelha ao decreto de “lockdown” de 17 a 21 de março. A diferença, dessa vez, é a liberação para bancos, escritórios de contabilidade, indústrias e construção civil.

“São medidas necessárias para que nós possamos fazer o gerenciamento da pandemia na nossa cidade de uma maneira a salvaguardar a oferta de saúde a quem porventura venha precisar”, explicou Nogueira.

No momento do anúncio, às 16h40 desta segunda-feira, a taxa de ocupação em leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) era de 96,1%, de acordo com a plataforma leitoscovid.org, com 299 pacientes internados em 308 vagas ofertadas.

Desde o início da pandemia, Ribeirão Preto totaliza 77.755 casos de Covid e 2.086 mortes. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, são 1.043 óbitos de janeiro a dezembro do ano passado e 1.043 vidas perdidas de janeiro a maio, o que mostra uma aceleração da doença.

Na segunda-feira (31) está prevista um novo anúncio da Prefeitura para avaliar os primeiros impactos das novas regras na situação da pandemia na cidade. No entanto, o secretário de Saúde, Sandro Scarpelini, acredita os resultados serão colhidos a longo prazo.

“Provavelmente a gente tem ainda pouco resultado, que foi o que a gente viu no primeiro lockdown. Demora um pouco mais, porque o ciclo de transmissão do vírus é de sete a 14 dias. A gente só vai ter resultado desse afastamento daqui a dez dias, 14 dias”, afirmou.

Esplanada do Theatro Pedro II e calçadão ficaram vazios durante confinamento contra Covid em março de 2021 — Foto: Sergio Oliveira/EPTV
Esplanada do Theatro Pedro II e calçadão ficaram vazios durante confinamento contra Covid em março de 2021 (Foto: Sergio Oliveira/EPTV)

O que vai PODER funcionar

  • Assistência em saúde (serviços médicos, laboratoriais, farmácias e hospitais)
  • Veterinário, apenas com urgência;
  • Assistência social e atendimento à população vulnerável;
  • Defesa civil;
  • Indústrias;
  • Construção civil;
  • Posto de combustível;
  • Agências bancárias;
  • Transporte de aplicativo e táxi;
  • Locação de veículos;
  • Telecomunicações e internet;
  • Serviço de radiodifusão de sons e imagens;
  • Serviços funerários;
  • Toque de recolher das 21h às 5h.

O que NÃO VAI PODER funcionar

  • Transporte público;
  • Escolas, universidades e cursos técnicos;
  • Missas e cultos presenciais; igrejas ficam abertas para orações individuais;
  • Reunião de pessoas ao ar livre;
  • Salão de beleza, estética e barbearias;
  • Escritórios, exceto os de contabilidade por conta dos prazos das declarações de Imposto de Renda; podem funcionar com 60% da capacidade;
  • Pet shops;
  • Academia;
  • Eventos esportivos;
  • Shopping e galerias;
  • Comercio em geral e de materiais de construção civil;
  • Parques;
  • Oficinas mecânicas;
  • Estacionamentos;
  • Restaurantes e bares com clientes internamente; autorizado apenas delivery até 23h;
  • Supermercados e hipermercados com clientes internamente; autorizado apenas delivery e drive-thru, desde que haja espaço adequado e com segurança sanitária, sem que a pessoa desça do carro;
  • Mercados, mercearias, padarias, casa de bolo, lojas de conveniência e bombonieres com clientes internamente; autorizado apenas por delivery até 23h;
  • Demais serviços que não estão na lista dos permitidos pela Prefeitura.

Fonte: G1

Scroll Up