Requerimento quer unificar pontos turísticos como “Balneário Botucatu”

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Alguns dos principais pontos turísticos de Botucatu, bem como bairros que ficam às margens dos Rios Tietê e Piracicaba, poderão agregar uma região específica, a fim de atrair investimentos. É o que pretende iniciativa apresentada na sessão da Câmara Municipal de segunda-feira, 26 de abril.

Com isso, Rio Bonito Campo e Náutica, Bairro da Mina, Porto Said e Alvorada da Barra passariam a integrar o chamado “Balneário Botucatu”, conforme o proposto pelo Requerimento nº 299, de autoria da vereadora Alessandra Lucchesi (PSDB). Pela proposta, haveria a vinculação dessas localidades em uma região apenas, a fim de facilitar a destinação de investimentos e melhorias em suas estruturas.

Na justificativa, a vereadora ressalta que a classificação de Botucatu como Município de Interesse Turístico (MIT) prevê investimentos contínuos e exclusivos no setor, e que a região – distante a mais de 30 quilômetros da área urbana – poderia ser uma geradora de empregos se melhor estruturada.

“O turismo de Botucatu está atrelado as muitas riquezas naturais, sendo que há necessidade de realização do levantamento de inventário sobre as belezas naturais e materiais da nossa cidade. As ações de melhorias na orla do Rio Bonito Campo e Náutica, Bairro da Mina e da Alvorada da Barra poderão formar um grande Balneário de Botucatu. Estudos vêm sendo feito pelos moradores da região, com propostas de engrandecimento desse complexo turístico. Os bairros não mais atendem exclusivamente casas de veraneio, mas, também, casas de moradia, com aproximadamente 500 moradores fixos”, frisou a parlamentar.

Nos últimos anos a região recebeu investimentos de melhorias. Em 2016, toda a orla do Rio Bonito foi revitalizada. À época foram investidos R$ 2 milhões em uma parceria com a AES Tietê, que consistiu em trabalhos do novo piso na Avenida Gentil Lourenção, padronização das calçadas, bem como melhorias como ciclovia, pista para caminhada, sistema de iluminação, além de bancos, lixeiras e playground. Foram ainda construídos dois decks, além de uma passarela nas imediações da bica, píer para pesca, área para prática esportiva e academia ao ar livre. No entanto, alguns anos depois, são necessárias obras de recuperação, principalmente em alguns decks.

Já o Porto Said, em março de 2020, teve a entrega de 50 unidades habitacionais populares construídas pela Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU), cujo investimento foi de R$ 3,7 milhões. As moradias foram destinadas a pescadores e famílias que estavam alocadas na região e que foram removidas pela concessionária de energia elétrica que gerencia partes das margens do Rio Tietê.

Aprovado pelos demais vereadores da Casa, o requerimento será encaminhado ao presidente do Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente, Leonardo Fulgueral, e ao presidente do Conselho Municipal de Turismo, Cristiano Vieira Pinto, para as análises de tal transformação. Em seguida, o Executivo local deverá emitir um parecer no prazo de quinze dias, conforme regimento da Câmara.

Flávio Fogueral – Jornal Leia Notícias

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes