Renato Kalil diz que teve “pequena discussão” antes da morte de esposa

Em depoimento à Polícia Civil de São Paulo, o ginecologista Renato Kalil alegou que sua esposa, Ilana Kalil, encontrada morta na madrugada da última segunda-feira (14/3), demonstrava uma “irritabilidade frequente” e estava sendo acompanhada por um médico psiquiatra.

O médico alegou que sua esposa ficou “revoltada” por precisar apagar sua conta no Instagram devido a “questões que o casal vinha enfrentando”.

Em dezembro do ano passado, Renato Kalil foi acusado de violência obstétrica por uma paciente. Depois, outras mulheres fizeram denúncias de abuso sexual e assédio. O médico negava as acusações.

No depoimento à polícia, Kalil contou que a esposa passou 40 minutos sem conseguir dormir, até que desceu para a sala, enquanto ele ficou no quarto.

Antes de subirem para o quarto, o médico disse que ele e a esposa tiveram uma “pequena discussão”. O depoimento registrado pela polícia, no entanto, não detalha o teor da conversa.

Fonte: Metrópoles