Reino Unido diz que 4ª dose contra Covid não é necessária por enquanto

As doses de reforço ainda estão fornecendo altos níveis de proteção para idosos contra doenças graves da variante do coronavírus Ômicron e não há necessidade de as pessoas tomarem uma quarta injeção, disseram autoridades de saúde britânicas nesta sexta-feira.

Cerca de três meses após a administração de uma terceira dose, a proteção contra hospitalização entre as pessoas com 65 anos ou mais permaneceu em cerca de 90%, disse a Agência de Segurança de Saúde do Reino Unido.

“Os dados são altamente encorajadores e enfatizam o valor de uma dose de reforço”, disse Wei Shen Lim, chefe de imunização contra Covid-19 do Comitê Conjunto de Vacinação do governo, em um comunicado.

Em comparação, com apenas duas doses de vacina, a proteção contra doenças graves para os maiores de 65 anos caiu para cerca de 70% após três meses e para 50% após seis meses, segundo a agência.

“Os dados atuais mostram que a dose de reforço continua a fornecer altos níveis de proteção contra doenças graves, mesmo para os grupos de idade mais vulneráveis”, disse Lim.

“Por esta razão, o comitê concluiu que não há necessidade imediata de introduzir uma segunda dose de reforço, mas isso continuará a ser revisado.”

A proteção contra infecções sintomáticas leves teve vida mais curta do que contra doenças graves e caiu para cerca de 30% após cerca de três meses, afirmou a agência.

Israel está agora administrando a quarta dose pessoas com mais de 60 anos e profissionais de saúde, bem como a pacientes imunocomprometidos, depois de concluir que elas aumentam os anticorpos em cinco vezes em uma semana.

Fonte: Yahoo!