Reino Unido decide pedir perdão para condenados por serem homossexuais

Alan Turing sofreu castração química e se suicidou (Foto: Reprodução)

Em decisão histórica, o governo britânico decidiu extinguir a condenação de pessoas homossexuais, fato considerado crime na Inglaterra e País de Gales até 1967, na Escócia até 1980 e na Irlanda do Norte até 1982.

O “indulto moral” aprovado e sancionado foi proposto pelo deputado John Sharkey, do Partido Liberal-Democrata, e pretende demonstrar a nova visão do Reino sobre a homossexualidade.

O secretário de Justiça britânico, Sam Gyimah, disse que as pessoas condenadas por serem homossexuais “seriam inocentes de qualquer crime hoje em dia” e, portanto, essa medida é extremamente importante.

O indulto moral também é uma conquista do movimento “Alan Turing Law”, criado em homenagem ao matemático britânico Alan Turing, que ajudou a decifrar os códigos nazistas durante a II Guerra Mundial. Turing foi tema do filme “O Jogo da Imitação”.

O matemático, apesar de sua extrema importância para o fim da guerra, foi condenado por se relacionar com um jovem de 19 anos em 1952.

Turing foi castrado quimicamente e cometeu suicídio dois anos depois, após desenvolver alucinações e depressão.

OUTRAS VÍTIMA DO GOVERNO

O escritor George Montague, que foi condenado em 1974, comemorou a decisão, mas disse à BBC que não aceitará o pedido de perdão.

“Aceitar um perdão é admitir que foi culpado. Eu não fui culpado de nada. Só fui culpado de estar no lugar errado no momento errado”, disse.

Oscar Wilde, que morreu em 1900), também foi vítima de lei. Ele foi condenado a dois anos de prisão por cometer atos imorais com diversos rapazes.

Wilde foi preso em 1895 por ser homossexual. Sua família foi exposta, sua reputação atingida e ele morreu em Paris, aos 46 anos, depois de uma profunda depressão.

Oscar Wilde também foi condenado e morreu em depressão (Foto: Reprodução)

Fonte: Yahoo!

Scroll Up