Segurança é preso suspeito de matar contador agredido durante briga em baile da terceira idade em Assis

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

A Polícia Civil prendeu um homem suspeito de agredir e matar Roberto Donizete da Cruz, de 53 anos, durante uma briga no clube da 3ª idade, em Assis (SP). Segundo a polícia, o contador participava de uma festa e tentou separar a confusão quando levou um soco no rosto e caiu no chão.

De acordo com o delegado José Roberto de Oliveira, o suspeito é Jairo Claudinei de Medeiros, de 48 anos, que fazia a segurança do evento no clube. A Justiça decretou a prisão temporária do suspeito por 30 dias na segunda-feira (11). Ele foi encaminhado para a cadeia de Lutécia.

Roberto Donizete morreu no Hospital das Clínicas de Marília três dias após o crime.

O caso está sendo investigado como lesão corporal seguida de morte.

Crime

Roberto Donizete da Cruz, de 53 anos, participava de uma festa e, de acordo com o boletim de ocorrência, o contador tentava separar uma briga quando levou um soco no rosto e caiu no chão.

Homem morre após ser agredido durante baile da terceira idade em Assis — Foto: Clube da 3ª Idade de Assis/Divulgação
Homem morre após ser agredido durante baile da terceira idade em Assis (Foto: Clube da 3ª Idade de Assis/Divulgação)

A família informou a polícia que a briga que começou dentro do clube, mas terminou do lado de fora, momento em que Roberto sofreu a agressão no rosto. Ele foi encontrado no chão e testemunhas disseram que ele caiu e bateu a cabeça. Depois foi constatado que o contador sofreu uma lesão causada por um soco.

Roberto da Cruz foi levado para Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) de Assis, e depois foi transferido ao Hospital das Clínicas de Marília, onde ficou internado por três dias e morreu.

Testemunhas indicaram que a agressão partiu de um dos seguranças da festa.

A presidência do Clube lamentou o ocorrido e informou que os seguranças que trabalhavam no evento eram de uma empresa terceirizada.

O boletim de ocorrência foi registrado como lesão corporal, mas a família pediu para Polícia Civil mudar para homicídio. Segundo o delegado José Carlos, o inquérito foi instaurado como lesão corporal seguida de morte e está sendo investigado.

Fonte: G1

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes