Homem morre em confronto com a polícia após tentativa de roubo em Bauru

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Um homem morreu em um confronto policial na noite de terça-feira (11) em Bauru (SP). A Polícia Civil investiga se ele seria o autor de um roubo ocorrido na farmácia da Rua Primeiro de Agosto, na sexta-feira (7).

Segundo o boletim de ocorrência, a equipe da Polícia Militar fazia patrulhamento de rotina pela região central da cidade quando recebeu a denúncia de que um homem estava tentando roubar uma pessoa na Rua Afonso Pena, com um revólver.

Os policiais encontraram um rapaz com as mesmas características da denúncia sob o viaduto que liga a Avenida Nuno de Assis com a Vila Falcão, e ele fugiu para uma área de mata, ainda de acordo com o registro policial.

Os PMs entraram na área e pediram para que o homem parasse, mas ele apontou a arma para a equipe e efetuou dois disparos, segundo a polícia. Os policiais revidaram e também atiraram, acertando a vítima no peito e no braço.

O resgate foi acionado e o Samu constatou a morte do homem. A polícia requisitou a perícia técnica no local e apreendeu as armas, tanto da vítima quanto dos policiais envolvidos na ocorrência.

Assalto na farmácia

Casal foi assaltado dentro de uma farmácia na noite de sexta-feira (7) em Bauru (SP) — Foto: Circuito de segurança/Reprodução
Casal foi assaltado dentro de uma farmácia na noite de sexta-feira (7) em Bauru (SP) (Foto: Circuito de Segurança/Reprodução)

A Polícia Civil investiga se o rapaz morto na troca de tiros seria o autor de outros roubos em Bauru, inclusive na farmácia da Rua Primeiro de Agosto.

Segundo o registro policial, a balconista e um cliente do estabelecimento reconheceram o suspeito através de uma foto. No entanto, o delegado Cledson Nascimento informou que ele ainda não foi identificado e que imagens das câmeras de segurança serão analisadas para verificar a informação.

“A gente ainda vai aprofundar a investigação com relação à autoria do roubo na farmácia. A gente solicitou imagens originais e tem semelhança em razão de algumas tatuagens no braço, mas vou depender de outras provas, até do reconhecimento de uma funcionária da farmácia”, explica o delegado.

Fonte: G1

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes