Hackers criam senha com mais de 100 dígitos em sistema, diz polícia de Botucatu

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

A polícia de Botucatu, que investiga o caso de um grupo de hackers que invadiu o sistema da Prefeitura de Pratânia e pediu “resgate” para devolver o programa, solicitou a colaboração do departamento de inteligência da Polícia Civil, em São Paulo, depois que mesmo usando vários equipamentos, nenhum funcionário não conseguiu reestabelecer o servidor.

Segundo a polícia, a equipe descobriu que a senha criada pelo hacker para liberação do sistema tem mais de 100 dígitos, segundo o delegado Celso Olindo.“O grupo criou uma senha com mais de 140 caracteres, dificilmente dá um resultado rápido. Eles estão trabalhando para voltar a programação dos computadores de Pratânia e ao mesmo tempo estamos fazendo um trabalho para rastrear de onde está vindo essa exigência”, explica Olindo.

Dados comprometidos
Por conta da invasão, os serviços administrativos da prefeitura estão suspensos desde o último domingo (30). Um especialista na área foi contratado para resolver o problema, mas o portal não foi normalizado até esta terça-feira (1º). Os programas de computadores que armazenam dados cadastrais de toda a cidade e a contabilidade do município sumiram.

Por uma mensagem em inglês, o grupo pediu um ”resgate” de três mil dólares para entregar a senha. O caso está sendo investigado pela polícia e chegou ao Ministério Público. O sequestrador de arquivos expõe a fragilidade na segurança do sistema. “A grande dúvida é se vamos pagar e de que forma podemos pagar? Entramos em contato com o Ministério Público e o Tribunal de Contas. Corremos o risco de pagar esses três mil dólares que eles pedem, eles não liberarem o sistema e continuarem a extorquir a prefeitura. Essa é a nossa grande preocupação”, afirma o prefeito Roque Joner.

Sem pagamento
Setores como o de contabilidade e o de recursos humanos estão sem acesso a dados fundamentais como o pagamento dos servidores públicos, que está programado para a próxima quinta-feira (3), mas sem o sistema, os salários podem ser feitos. “Nós vamos tentar resolver entre hoje e amanhã, para que quinta-feira tenha pagamento. Mas é preocupante. Nós temos um feriado pela frente e o pessoal conta com esse dinheiro para pagar suas contas”, diz Joner.

Se o hacker for identificado ele pode ser enquadrado nos crimes de extorsão e invasão de sistema de informática. A situação é perigosa, também, pelo fato de a prefeitura não ter uma cópia dos documentos e dados , ou seja, só estavam guardados no sistema. O delegado instruiu que todas as empresas tenham este hábito.

Fonte: G1

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes