Faxineira da Unesp sonha em ser bióloga e divide tempo entre trabalho e estudo para o Enem

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Aos 53 anos, a faxineira Maria Helena Rosa, que trabalha na limpeza da Unesp em Bauru (SP), pretende trocar o pano de chão pelas lupas do laboratório de biologia.

Para realizar o sonho de se tornar bióloga, ela divide o tempo entre o trabalho na universidade e os estudos. Ela se prepara para fazer a prova do Enem no próximo domingo (3).

00:00/06:33

Falta seis dias para o Enem, o Exame Nacional do Ensino Médio

Falta seis dias para o Enem, o Exame Nacional do Ensino Médio

“Esse é o meu sonho. Eu conto os dias, não vejo a hora de eu estar nessa bancada, junto com os meninos mais novinhos, disputando o espaço. É um sonho que eu quero realizar”, conta enquanto limpa o laboratório de biologia no campus da universidade.

E para realizar esse sonho, a Maria Helena não mede esforços. Depois de terminar o serviço na Unesp, ela segue para outro corredor da universidade, mas agora para estudar.

00:00/02:34

Mulheres são a maioria entre os inscritos do Enem 2019

Mulheres são a maioria entre os inscritos do Enem 2019

A faxineira conseguiu uma vaga no cursinho “Primeiro de maio”, um pré-vestibular de graça, oferecido pela própria universidade a estudantes de escolas públicas. No curso, ela tem a chance de aprender tudo aquilo que precisa para passar no vestibular.

“Espero que a nota do Enem venha me favorecer bastante pra que eu entre de cabeça erguida.”

Maria Helena vai na contramão do perfil da maioria dos candidatos do Enem. Segundo o levantamento do Inep, organizador do exame, as mulheres são maioria sim, mas a faixa etária é de 17 anos. Ela é um exemplo que nunca é tarde para voltar a estudar e buscar os sonhos.

Maria Helena frequenta cursinho pré-vestibular oferecido pela Unesp  — Foto: TV TEM / Reprodução

Maria Helena frequenta cursinho pré-vestibular oferecido pela Unesp — Foto: TV TEM / Reprodução

“Eles aparecem sempre com uma vontade muito grande de aprender, porque eu acho até que é um tempo que eles ficaram sem estudar que acaba acumulando a vontade neles de estudar mais e adquirir muito mais conhecimento. A Maria sempre participa da minha aula, faz muitas perguntas querendo sanar as dúvidas, sanar as curiosidades dela e isso é muito interessante”, destaca o professor de biologia do cursinho, Rodolfo Ferreira dos Santos.

A dedicação da Maria não acaba na sala de aula. Depois da aula, ela continua estudando na mezinha da varanda do quartinho de limpeza da universidade. Ela mostra que o impossível não existe para quem tem coragem.

“Se você não dedicar, você não alcança nenhum objetivo e agora que eu tenho a minha chance, eu estou aproveitando”, finaliza.

Fonte: G1

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes