Carros são destruídos por granizo do tamanho de cebolas durante temporal

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Veículos tiveram vidros ‘furados’ por pedras de gelo (Foto: Arquivo Pessoal/ Thaniely Eglesias)
Granizo do tamanho de cebolas (Foto: Arquivo Pessoal/ Adriano de Andrade)
Granizo do tamanho de cebolas (Foto: Arquivo Pessoal/ Adriano de Andrade)

Uma chuva com granizo do tamanho de cebolas, que ocorreu na manhã desta segunda-feira (23) em Guareí (SP), quebrou vidros de carros e danificou o teto do pronto-atendimento (PA) do hospital da cidade. A unidade ficou alagada e quem busca atendimento no local é transferido para Itapetininga (SP), cidade vizinha, e não há prazo para voltar a funcionar. A unidade aguarda vistoria do Corpo de Bombeiros para reabrir, disse a direção do hospital à TV TEM.

O prefeito de Guareí, João Batista Momberg (PT), decretou situação de emergência porque a chuva teria provocado inundações em metade de todas as casas do município de 16 mil habitantes, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O morador Adriano de Andrade, soma ter visto pelo menos 20 veículos com vidros danificados. Não há um número total de atingidos. “Todos os carros da minha rua ficaram com vidros quebrados. Mas pelo menos é dano material, ninguém se machucou. Porque houve chances de feridos, imagine uma pedra do tamanho de uma cebola caindo em alta velocidade”, ressalta.

Granizo causou destruição em carros, casas e no hospital (Foto: Arquivo Pessoal/ Thaniely Eglesias)
Granizo causou destruição em carros, casas e no hospital (Foto: Arquivo Pessoal/ Thaniely Eglesias)

A estudante Thaniely Corrêa Eglesias, que fotografou os estragos causados nos carros, disse que a chuva ocorreu pela manhã, mas o granizou durou cerca de cinco minutos. O fenômeno começou por volta das 10h.

Apesar do pouco tempo, a chuva de granizo foi assustadora. “Foi muito barulho, eu nunca tinha visto pedras daquele tamanho. Ruas também ficaram alagadas. Minha tia, de 55 anos, também disse que foi a primeira vez que ela viu granizo desse tamanho aqui em Guareí”, conta Thaniely, de 18 anos.

Ainda de acordo com ela, bairros da cidade ficaram sem energia elétrica desde o início da chuva de granizo até 14h, sendo quatro horas no total. “O hospital ficou interditado, creches e escolas pararam, os supermercados também fecharam as portas. A cidade praticamente parou”, relata a jovem.

Uma equipe técnica da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec) foi à cidade para vistoriar bairros atingidos pela chuva. O órgão também disponibilizou materiais de ajuda humanitária para as famílias atingidas, que tiveram as casas danificadas por destelhamentos, afirma a Cedec.

Chuva na região

Árvores caíram durante chuva em Conchas (Foto: Sidnei Miranda/ Folha Regional)
Árvores caíram durante chuva em Conchas (Foto: Sidnei Miranda/ Folha Regional)

Além de Guareí, o temporal causou estragos em outras dez cidades da região. Em Conchas (SP), de acordo com o coordenador da Defesa Civil Uberto Lippi, a chuva com ventos fortes ocorreu das 4h às 4h25 da madrugada e derrubou 27 árvores na zona urbana.

Ainda segundo ele, algumas telhas voaram, portões e antenas ficaram retorcidos e alguns muros caíram. Na zona rural diversas árvores caíram e algumas estradas tiveram tráfego interrompido. Lippi diz ainda que as equipes já realizaram os reparos emergenciais e que as estradas foram liberadas. A cidade chegou a ter o fornecimento de energia interrompido, mas já foi restabelecido. Não há registro de feridos ou desabrigados.

Cesário Lange

Chuva derrubou árvores na área central de Cesário Lange (Foto: Arquivo Pessoal/Rogério Silva)
Chuva derrubou árvores na área central de Cesário Lange (Foto: Arquivo Pessoal/Rogério Silva)

Cesário Lange (SP) também foi atingida pela forte chuva durante a manhã desta segunda. O vento forte destelhou casas e derrubou árvores. A prefeitura trabalha para liberar as vias. Não houve registro de vítimas. As aulas nas escolas municipais foram suspensas e devem ser retomadas na quarta-feira (25).

As pessoas que tiveram as casas danificadas com as chuvas estão na casa de familiares. A prefeitura disse ainda não ter um levantamento porque o trabalho agora é ajudar as pessoas que tiveram as casas danificadas e também na liberação dos acessos.

Equipes da Cedec também foi à cidade vistoriar bairros atingidos pela chuva e disponibilizar materiais de ajuda humanitária para as famílias atingidas pelas fortes chuvas, que tiveram suas casas danificadas por destelhamentos, afirma o órgão.

Paranapanema

Em Paranapanema (SP), a zona rural teve prejuízos com o mau tempo. Plantações e barracões no Distrito de Holambra ficaram destruídos após a chuva com granizo. A colheita foi praticamente perdida e algumas estruturas também foram danificadas. O administrador da fazenda diz que perdeu 100% da produção de 250 hectares. Ele acredita que os prejuízos cheguem a R$ 700 mil.

Alagamento de rua em Laranjal Paulista (Foto: Felipe Jacon/Arquivo Pessoal)
Alagamento de rua em Laranjal Paulista (Foto: Felipe Jacon/Arquivo Pessoal)

Laranjal Paulista

Em Laranjal Paulista (SP), o morador Felipe Jacon registrou o alagamento da Rua Governador Pedro de Toledo, na região central. Segundo Jacon, antes do início do temporal havia pessoas no local. Mas, de acordo com ele, ninguém ficou ferido.

Tatuí

Em Tatuí (SP) também choveu forte durante todo o dia. Uma rua próxima a rodoviária ficou alagada. O ponto é conhecido por sempre alagar durante forte chuva. Segundo a prefeitura, a Defesa Civil segue em alerta, mas não foi registrado nenhum incidente com a chuva.

Falta de energia na região

Itaporanga (SP), Riversul (SP), Barão de Antonina (SP), Coronel Macedo (SP) e Fartura (SP) ficaram sem fornecimento de energia elétrica desde às 21h30 de domingo (22). O problema aconteceu depois que três postes da rede de transmissão caíram. A estimativa é de que 18 mil moradores tenham sido prejudicados.

A energia voltou às 22h30 em Fartura e Riversul, conforme a concessionária responsável pelo serviço. Em Itaporanga, a energia voltou às 12h40 desta segunda, diz a empresa. A previsão é que a situação fosse normalizada no fim da tarde em Barão de Antonina e Coronel Macedo, mas a empresa não informou até a noite desta segunda se a energia havia voltado.

Ruas ficaram alagadas com temporal (Foto: Arquivo Pessoal/ Thaniely Eglesias)
Ruas ficaram alagadas com temporal (Foto: Arquivo Pessoal/ Thaniely Eglesias)

Fonte: G1

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes