Cão comunitário com pernas traseiras decepadas por trem, passa por cirurgia em Botucatu e precisa de doações

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Um cão comunitário de Dois Córregos (73 quilômetros de Bauru), conhecido na cidade como Cara Cinza, teve as duas pernas traseiras e metade do rabo dilacerados pelo trem, no último domingo (7). Na segunda-feira (8), ele passou por uma cirurgia na Faculdade de Medicina Veterinária da Unesp de Botucatu. O cão teve as duas pernas dilaceradas amputadas, assim como parte do rabo. Residentes e professores da Unesp lutam para colocar uma prótese no cão. Um boletim de ocorrência (BO) será registrado hoje para apurar o que aconteceu, já que o animal era acostumado a circular pela linha férrea. Existe a suspeita de que ele tenha sido amarrado aos trilhos.

Na Unesp, parte dos serviços é gratuita, mas os exames e materiais usados precisam ser pagos. Lá não são feitas internações. Assim que o animal passa pelo procedimento, ele precisa ser retirado do local. Cara Cinza está se recuperando em uma clínica em Jaú e, apesar dos descontos concedidos, também é preciso pagar as despesas dessa hospedagem, por isso, moradores de Dois Córregos e cidades da região, como Jaú, Igaraçu e Bauru, estão se mobilizando para ajudar. O caso mobilizou as redes sociais.

Existe a suspeita de que ele tenha sido amarrado na linha férrea, segundo apontou o vereador Alex Parente, em sua página no Facebook. Ele vai registrar um boletim de ocorrência (BO) na Polícia Civil hoje para que o caso seja investigado.

Parente foi quem resgatou o cachorro após a perda dos membros e acionou sua rede de contatos solicitando ajuda.

O vereador foi chamado ao local por um morador de rua, que encontrou o cachorro atropelado.

Cara Cinza, que também é conhecido como Manchinha, Zé e Robson, é cuidado pelos moradores e protetores de Dois Córregos desde setembro do ano passado, quando apareceu nas redondezas. Muito dócil, ele foi castrado e vacinado. As informações são de que o cachorro passa bem e vai se recuperar das amputações que sofreu.

Em sua página no Facebook, Alex Parente ressaltou a tranquilidade do animal em todo o resgate. “Eu estava sem focinheira na hora de socorrê-lo. Em nenhum momento, ele tentou me morder, o que seria natural em função do estresse e da dor que ele estava passando”, comentou.

SERVIÇO

Quem quiser e puder ajudar a pagar as despesas da cirurgia e da prótese do Cara Cinza, deve entrar em contato com o vereador na rede social: http://www.facebook.com/alex.parente.79

Fonte: Jcnet

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes