Botucatu recebe Concerto de Natal com a Orquestra de Cordas do Interior Paulista e solista Paulo Paschoal

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

No próximo domingo, 20, Botucatu receberá o Concerto de Natal na Catedral Metropolitana, com a Orquestra de Cordas do Interior Paulista (OCIP) e solista Paulo Paschoal, a partir das 20h30.

A Orquestra realizou uma temporada de muito sucesso na cidade de Botucatu com variados temas, se apresentando no Teatro Gino Carbonari.

No evento especial do dia 20, aberto ao público, a finalidade é levar a música de alta qualidade para as pessoas que prestigiaram o grande trabalho da Orquestra durante o ano e também para aqueles que não tiveram a oportunidade de apreciar o diferencial cultural que o grupo traz para o interior do estado.

Uma das grandes características desta Orquestra é sua versatilidade e além dos emocionantes clássicos natalinos, inusitadamente executará um tributo à música sertaneja de raiz, ressaltando o amor com que realizam este maravilhoso trabalho para a cidade de Botucatu.

orquestra02

A Orquestra

A Orquestra de Cordas do Interior Paulista – OCIP é uma iniciativa dos músicos da região de Botucatu, cidade que cedia a Orquestra. O grupo tem identidade eclética, executando primorosamente grandes obras do repertório erudito como Bach, Brahms, Tchaikovsky, Vivaldi, música brasileira, tangos e também versões camerísticas de grandes bandas como Beatles, Led Zeppelin e Nirvana, criando verdadeiros shows com atmosferas despojadas, grande característica da OCIP.

Neste ano de intensos trabalhos, a OCIP regida pelo solista Paulo Paschoal esteve em grandes eventos como o lançamento do CD de Paschoal: Tributo aos Beatles no Museu da Casa Brasileira – SP, BrooklinFest, Parque São Jorge – Corinthians, Itaquera, Teatro Avenida entre outros.

Integrantes:

Paulo Paschoal – solista e regente

Violinos: Jonatas Ariel, Glória Bertalot, Marcela Frigato, Rodrigo Mozart

Viola: Jéssica Paganucci

Violoncelo: Douglas Kier

Contrabaixo: Silvio Decimone

Piano: Flávio Villar

orquestra01

O solista e regente Paulo Paschoal

Violinista, filho de pai violinista e mãe pianista, Paulo Paschoal iniciou seus estudos de violino com seu pai aos 4 anos de idade. Mas, foi a admiração e a vontade de tocar como o irmão mais velho que o motivou a seguir em frente. Aos nove anos deu continuidade aos seus estudos em um Conservatório Musical, onde venceu vários concursos promovidos pelo próprio conservatório. Em sua trajetória participou de diversas “Master Class” e recebeu orientação de Dimitry Sitkovetsky, Shlomo Mintz e Boris Belkin, entre outros.

Foi professor de violino do Instituto Baccarelli que tem por objetivo a formação musical e artística de crianças e jovens de regiões carentes. Já tocou em orquestras como: Orquestra Sinfônica de Sorocaba, Orquestra Sinfônica de Santo André, Petrobrás Pró Música e Sinfônica Jovem do Estado de São Paulo.

No ano de 2004, pensando na oportunidade que poderia proporcionar aos seus alunos de regiões mais carentes e na democratização da música clássica, criou a Camerata Darcos e o Quinteto Brasileiro de Cordas que pode assumir formações menores como o Quarteto  Brasileiro de Cordas e o Trio Brasil.

Além de inúmeros CDs gravados com a OSESP possui CDs gravados com a Orquestra de Câmara Banespa, Villa-Lobos, Santo André e da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo. Além das orquestras gravou CDs com nomes renomados da música brasileira tais como:

Roberto Carlos, Chico César, Leonardo e Zizi Possi, entre outros.

Também dividiu o palco com artistas como Ney Mato Grosso e Milton Nascimento. Possui três trabalhos solos: no primeiro interpretando obras do compositor Niccoló Paganini e no segundo, acompanhado por um grupo de choros, trouxe composições de Abel Ferreira e Alexandre Guerra e no terceiro com a Camerata Darcos.

Há 19 anos é violinista da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo – OSESP, considerada uma das melhores orquestras sinfônicas do país, sediada na Sala São Paulo, importante polo cultural do Estado que conta com a melhor sala de concerto da América Latina. Com a OSESP o violinista já esteve em turnê internacional tocando nas melhores salas de concertos do mundo.

Atualmente, o músico Paulo Paschoal se apresenta em diversos locais com a Camerata Darcos e formações menores como o Quarteto Brasileiro de Cordas. Estes projetos têm como missão promover a democratização da música erudita e a formação de plateia através da diversificação musical. Surge assim, no cenário nacional brasileiro, uma nova proposta de trabalho que une grandes músicos da Osesp e antigos alunos. Os concertos que realiza em hospitais, comunidades carentes, parques e teatros colaboram com o fomento e difusão da música clássica principalmente entre os jovens que ainda têm algum preconceito com a música clássica. E, infelizmente, quando há o interesse por este tipo de formação musical ela é de difícil acesso. A música é de extrema relevância para a o desenvolvimento do indivíduo, propiciando a inclusão social em regiões desfavorecidas. É com essa irreverência que o músico Paulo Paschoal inova em seu repertório e nos locais de suas apresentações visando a superação desses obstáculos.

Em sua trajetória participou de diversas Master Classes e recebeu a orientação de Dimitry Sitkovetsky, Boris Belkin e Shlomo Mintz. É violinista da OSESP há vinte anos, com a qual trabalhou nas principais salas de concerto do mundo todo. Foi professor de violino do Instituto Baccarelli, já tocou em orquestras como: Orquestra Sinfônica de Sorocaba, Orquestra Sinfônica de Santo André, Petrobrás Pró Música e a Sinfônica Jovem do Estado de São Paulo.

Além das orquestras gravou CDs solo e também com nomes renomados da música brasileira como: Roberto Carlos, Chico César, Leonardo, Zizi Possi entre outros. Também dividiu o palco com artistas como Ney Mato Grosso e Milton Nascimento.

Paulo Paschoal, apesar de sua formação erudita, é considerado um marco da diversidade em estilos musicais. Possui uma personalidade marcante, aliada à técnica, simplicidade e leveza. Um violinista eclético que abusa de suas habilidades técnicas para se apresentar tanto em um programa de televisão voltado à contemporaneidade dos estilos musicais, quanto levar a plateia ao delírio com seu repertório de músicas clássicas.

Em 2004, o violinista Paulo Paschoal, fundou a Camerata Darcos e o Quinteto Brasileiro de Cordas, que se dedicam à formação de plateia para a música clássica. Nas apresentações, o músico (regente e solista), interage com o público, apresentando informações sobre os compositores e instrumentos, o que torna a música instrumental atraente. Conquistando a atenção de muitos jovens. Os grupos são as principais ações do plano de música para os jovens instrumentistas, sendo um referencial da música erudita no Estado. Recentemente a Camerata Darcos participou do “Programa Circuito Cultural Paulista 2011” realizado pela Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo, tocando em diversas cidades do interior. Também já participou da Virada Cultural Paulista nos anos de 2010, 2011, 2013 e 2014.

 

Fonte: Divulgação

 

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes