Assassino de Emanuelle matou irmão a facadas em 1988 após briga por uso de banheiro

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

O assassino da a menina Emanuelle Pestana de Castro, de 8 anos, Aguinaldo Guilherme Assunção, de 49 anos, se matou no Centro de Detenção Provisória de Cerqueira César, a 304 quilômetros de São Paulo, na madrugada desta quarta-feira (15).

A informação foi confirmada pela equipe da Polícia Civil de Chavantes, cidade em que ocorreu o crime, também no interior de São Paulo. De acordo com o boletim de ocorrência, ao fazer a contagem dos presos por volta de 5 horas da manhã, um funcionário encontrou Aguinaldo enforcado.

Segundo a polícia, ele estava sozinho na cela e utilizou um lençol que foi amarrado na ventana e também ao pescoço. A enfermeira da unidade constatou o óbito. O corpo foi levado para o IML (Instituto Médico Legal) de Avaré. As circunstâncias da morte ainda são investigadas. 

Na manhã desta quarta-feira, o delegado Marco Aurélio de Cerqueira César foi até a cadeia em que ocorreu a morte para acompanhar o trabalho da perícia.

Perfil de Aguinaldo

Aguinaldo Guilherme Assunção tem 49 anos é lavrador, mas estava desempregado. O último trabalho foi na quitanda da cidade de Chavantes, onde nasceu e cresceu. Ela mora em uma casa com a mulher e o enteado de 10 anos.  Ele foi casado anteriormente e teve uma filha, hoje com 21 anos. Ela mora com a mãe e não tinha contato com o pai.

Aos 17 anos, Aguinaldo matou o irmão Roberto, de 23 anos. Ainda em 1988, Beto, como era chamado, trabalhava com manutenção de equipamentos eletrônicos e, ao chegar em casa, foi para o banho. O irmão queria ir antes e começou uma discussão. Roberto foi morto com uma faca de cozinha ainda no banheiro. Ele foi preso na rodoviária da cidade enquanto brincava com cachorros. Menos de dois meses depois, foi colocado em liberdade.

 Segundo a sobrinha dele, Roberta Assunção, a família não desconfiava do envolvimento dele na morte de Emanuelle, mas ainda assim está sendo ameaçada. “Ele tratava bem as crianças, brincava com as da vizinha. A gente não admite isso, mas a gente não tem culpa de nada, ele que tem que pagar”, afirmou. 

Fonte: R7

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes