Aposentada de Bauru transforma guarda-chuva velho em saco de dormir para moradores de rua no inverno

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

A iniciativa de uma auxiliar de enfermagem de Bauru (SP) de transformar guarda-chuvas e sombrinhas velhos em sacos de dormir para moradores de rua virou campanha às vésperas da chegada da estação mais fria do ano – o inverno começa às 12h54 desta sexta-feira (21).

Na semana passada, a aposentada Sandra Reti, de 61 anos, reforçou seu apelo nas redes sociais para receber doações de guarda-chuvas e sombrinhas para “turbinar” sua produção de sacos de dormir.

Batizada informalmente de “Guarda-Chuva Solidário”, a campanha tem a ajuda de outras voluntárias que se encarregam de fazer a entrega do acessório que pode ajudar os moradores de rua no enfrentamento das baixas temperaturas.

Sandra Reti explica que produz o utensílio o ano todo, mas no inverno a preocupação é maior — Foto: TV TEM/Reprodução

Sandra Reti explica que produz o utensílio o ano todo, mas no inverno a preocupação é maior — Foto: TV TEM/Reprodução

Sandra explica que, apesar do inevitável apelo do inverno, sua produção de sacos de dormir com material reciclado é feita durante todo o ano.

“Sempre que tenho material, costuro. Bauru tem clima de deserto, e mesmo no calor as noites são frias. Mas agora, no inverno, não podemos perder tempo porque quem tem frio, tem pressa”, discursa.

Quente e fácil de carregar

A aposentada explica que os sacos de dormir feitos com os panos dos guarda-chuvas são eficientes no combate ao frio porque o tecido impermeável retém o calor corporal, além de também ajudar em situações de chuva e sereno.

A ideia de fazer os utensílios surgiu ao ver nas redes sociais uma mulher de Nova Iguaçu (RJ) compartilhando um vídeo com uma espécie de tutorial que ensinava a fazer os sacos de dormir. Sandra assistiu, aprendeu, e decidiu passar suas horas vagas em frente à máquina de costura.

Sandra explica que para fazer um saco de dormir são necessários quatro guarda-chuvas ou sobrinhas, que precisam ser do mesmo tamanho. Após serem retirada das armações, as coberturas, em forma de octógono, são lavadas e passadas. Depois, são costuradas até formar um grande retângulo.

A aposentada explica que o saco de dormir é projetado para virar um "rolinho" (no detalhe), o que facilita o transporte — Foto: TV TEM/Reprodução

A aposentada explica que o saco de dormir é projetado para virar um “rolinho” (no detalhe), o que facilita o transporte — Foto: TV TEM/Reprodução

A aposentada estima que, com a matéria-prima passada e levada, ela consiga montar um saco de dormir em cerca de 30 minutos de trabalho na máquina de costura. O utensílio é projetado para ser dobrado de forma a virar um “rolinho” de cerca de 30 centímetros, o que facilita seu transporte pelas ruas.

Além de produzir os sacos de dormir, Sandra também passou a compartilhar o vídeo que a ensinou a fazer o utensílio.

“Geralmente não saio para entregar as peças, mas fui algumas vezes na Praça Rui Barbosa e na rodoviária. A princípio eles não entendem, mas quando a gente desdobra, ficam felizes. E isso aquece nosso coração”, diz a aposentada.

Fonte: G1

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes