Putin rouba cena em casamento de ministra austríaca

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, roubou a cena em um casamento. O russo acompanhou neste sábado (18/08) na Áustria o enlace da ministra de Relações Exteriores do país, Karin Kneissl.

A cerimônia aconteceu em um vinhedo em Gamlitz, no sudeste da Áustria. Putin era apenas um dos cem convidados da festa e permaneceu por pouco mais de uma hora, mas foi o suficiente para monopolizar as atenções.

O presidente trouxe consigo um coral de cantores russos para animar a festa e chegou a dançar com a noiva (foto), além de assinar um cartaz com a frase “recém-casados” que foi afixado no carro dos noivos.

Além de Putin, o casamento contou com a presença do chanceler federal da Áustria, Sebastian Kurz, o vice-chanceler e líder do partido conservador Partido Liberal (FPÖ), Heinz Christian Strache, e outros membros do governo de coalizão.

Mas nem tudo foi festa. Antes mesma da cerimônia, o convite da chefe da diplomacia austríaca ao presidente russo suscitou uma onda de críticas dentro e fora da Áustria, país que preside neste semestre a União Europeia (UE) e que, também com base em sua neutralidade constitucional, tenta mediar o conflito entre Ucrânia e Rússia.

Kneissl, de 53 anos, assumiu a pasta de Exteriores em 2017 como independente, mas é apoiada pelo partido nacionalista FPÖ, que em 2016 assinou em Moscou um acordo de cooperação com o partido Rússia Unida, controlado por Putin, com o objetivo de estreitar as relações entre ambas formações nacionalistas.

Antes da festa, ela insistiu que seu casamento com o empresário Wolfgang Meilinger era um evento privado, apesar da presença do presidente russo. Também neste sábado na Áustria, Putin deve se encontrar com a chanceler federal da Alemanha, Angela Merkel.

“Realmente, desejo a Kneissl o melhor para seu casamento, mas acharia de bom grado que por interesse nacional tivesse evitado as irritações internacionais que infelizmente já causou por convidar o presidente russo”, declarou Andreas Schieder, porta-voz do opositor Partido Socialista Austríaco (SPÖ), em comunicado.

O político se referiu sobretudo às molestas reações provenientes da Ucrânia, onde foi colocada em dúvida a futura capacidade de Viena para participar dos esforços de paz.

“Uma casamento é algo privado. No entanto, se ela convida Vladimir Putin ao seu casamento, fica claro que não é neutro. A partir de agora, a Áustria não pode ser um mediador na Ucrânia”, escreveu em um tuíte a presidente do Comitê de Política Externa do Parlamento ucraniano, Hanna Hopko, pouco depois do anúncio na quarta-feira passada sobre a visita do dirigente russo.

Depois das críticas, o Ministério de Relações Exteriores austríaco negou que houvesse “uma mudança no posicionamento da política externa da Áustria” pela “celebração privada” e a “visita pessoal” de Putin.

Já o ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Pavlo Klimkin, disse no Twitter que o episódio todo provocou um “sorriso triste”. O tweet do chefe da diplomacia da Ucrânia foi amplamente reproduzido na imprensa da Áustria, onde alguns políticos opositores chegaram inclusive a pedir a renúncia de Kneissl.

Fonte: Yahoo!

Scroll Up