Provas indicam que modelo brasileira morta em Santiago não cometeu suicídio, diz promotor

Tratada inicialmente como suicídio, a morte da brasileira Nayara Vit passou a ser investigada como possível homicídio. A informação foi dada pelo promotor Omar Mérida, do Ministério Público do Chile, nesta quinta-feira. A modelo de 33 anos morreu após cair do 12º andar de um prédio no Bairro Las Condes, área nobre de Santiago, no dia 8 de julho

Em um vídeo publicado nas redes sociais da MP chileno, Mérida informou ter conseguido recolher vídeos, áudios, testemunhos e provas materiais que permitem “considerar hipóteses distintas de suicídio”.

— As diligências das últimas horas têm permitido avançar satisfatoriamente com a investigação, com vídeos, áudios, depoimentos e evidências materiais, os quais contribuem para esclarecer a dinâmica dos fatos e as inconsistências nos principais depoimentos do fato. Isso permite considerar com mais força a hipótese diferente de suicídio — afirmou Mérida.

A investigação é conduzida pelo Ministério Público do Chile junto à Brigada de Homicídios da polícia chilena.

Nayara estava separada do marido havia oito meses — os dois tiveram uma filha, de 4 anos —, e se relacionava com o executivo Rodrigo Del Valle Mijac, diretor de uma empresa de tecnologia em Santiago.

Na noite da morte, o casal esteve em um restaurante. Os relatos são de que Nayara e o Mijac tiveram uma discussão dentro do estabelecimento. A modelo foi encontrada morta por volta da meia-noite. Também estavam no apartamento a babá e a filha da brasileira.

Nos primeiros depoimentos prestados à polícia, Mijac e a babá foram contraditórios. O executivo contou que estava sentado na sala quando a mulher passou correndo e se jogou da sacada. A funcionária estava no quarto com a criança e relatou ter escutado um vaso caindo, um grito de Nayara e, em seguida, o barulho da queda.

A advogada Marcela Bakit, que era amiga e já trabalhou para a modelo brasileira, afirmou que Mijac sequer desceu do apartamento quando Nayara caiu. Em entrevista ao jornal El Dínamo, ela disse ter ficado surpresa com a “falta de emoção” apresentada por Mijac.

— Um grande vaso cai, isso por volta das 11 da noite. Às 11h05, o golpe de seu corpo é ouvido entre as plantas, não diretamente no concreto. Isso é chocante, mas não há movimento, ninguém desce para ver o corpo — disse Bakit. — Ele não desce, e os Carabineros (polícia chilena) assumem tudo — acrescenta.

Bakit também revelou que Nayara chegou a ser expulsa do apartamento de Mijac, em 16 de maio. A atitude do executivo foi tomada na véspera da audiência que definiu a guarda da filha da brasileira. Ela tinha acabado de se separar e Bakit atuou como sua advogada no divórcio.

— Ele (Mijac) a expulsou com a menina na noite, do apartamento onde ela caiu. Ela me chama, como sua advogada, ela estava arrasada, ela chorou, ela não podia acreditar no que tinha acontecido. Imagine sair à noite com uma garotinha de quatro anos. Ela foi destruída e no dia seguinte ela teve uma audiência — disse Bakit.

Fonte: G1

Scroll Up