Protestos contra ‘vacinação vip’ reúnem milhares de pessoas na Argentina

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Milhares de pessoas se mobilizaram neste sábado em diferentes cidades da Argentina para protestar contra as “vacinações de privilégio” contra a Covid-19, um escândalo que custou o cargo do ministro da Saúde do governo de Alberto Fernández.

Agitando bandeiras, os manifestantes se concentraram na Praça de Maio da capital e em outras cidades, como Córdoba (centro), Rosario (centro-leste) e Mar del Plata (sul). Os protestos ocorreram sem incidentes, exceto em frente à residência oficial de Olivos (periferia norte), onde houve atritos entre opositores e um grupo de sindicalistas defensores do governo.

Participaram dos protestos dirigentes do Juntos pela Mudança – coalizão que responde ao ex-presidente Mauricio Macri, entre eles a ex-ministra da Segurança Patricia Bullrich. Nas grades em frente à Casa Rosada, manifestantes penduraram grandes sacos mortuários pretos com o nome de líderes governistas vacinados, um ato condenado no Twitter pelo presidente argentino.

Devido ao escândalo, Fernández afastou o ministro Ginés González García, um especialista em saúde pública renomado, que foi substituído por Carla Vizzotti, segunda da pasta. O presidente ordenou a divulgação de uma lista de 70 pessoas vacinadas fora do protocolo, a maioria por serem “funcionários estratégicos” do Estado, embora alguns sem justificativa. O episódio representou um golpe na imagem do governo, que esperava exibir seu plano de vacinação como uma conquista, acompanhado pela recuperação econômica.

Com 44 milhões de habitantes, a Argentina registra mais de 2 milhões de casos de Covid-19 e 52 mil mortos. Um milhão de pessoas já foram vacinadas, segundo o governo.

Fonte: Yahoo!

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes