Prefeitura oficializa doação de terreno para construção da fábrica da Avionics em Botucatu

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Dezessete anos depois de protocolar o primeiro pedido de doação de área para construção de uma unidade industrial em Botucatu, finalmente na tarde de segunda-feira (21), os empresários João Batista Vernini e Antonio José Rodrigues dos Santos, diretores da Avionics Services,  receberam das mãos do prefeito João Cury Neto a escritura de um terreno de 10.968 metros quadrados, às margens da pista do aeroporto municipal “Tancredo Neves”, onde poderão materializar esse antigo sonho.
A cerimônia, realizada no hangar que a empresa aluga atualmente e onde iniciou suas operações no último dia 14 de abril, contou com as presenças de diversas autoridades e representou o fim de uma longa espera. Desde 1998 seus diretores buscavam viabilizar junto ao poder público a doação de um terreno.
“A gente nunca imaginou que fosse demorar tanto tempo. Recebemos propostas de outras cidades. Mas nós, que somos nascidos aqui, que acreditamos no potencial de Botucatu por ter uma tradição aeronáutica, resolvemos não desistir do nosso sonho e esperar até o dia que isso viesse a acontecer. E esse dia finalmente chegou”, comemorou Santos.
“O João é um prefeito bastante dinâmico, que entendeu nossa necessidade e também comprou nosso sonho. Ele trabalhou bastante para que isso pudesse acontecer. A participação dele foi fundamental para que pudéssemos chegar a esse momento tão esperado por nós”, completou.
“Fomos persistentes. Entendemos as dificuldades burocráticas e algumas vezes políticas, mas acho que esperar mais de quinze anos é um prazo um pouquinho longo, não é? Mas isso é passado. Agradeço a administração atual, em especial ao prefeito João Cury que, apesar de todas as dificuldades, conseguiu resolver os problemas administrativos e garantir a doação do terreno. Agora a responsabilidade é nossa de devolver para a cidade o benefício que conquistamos. Estamos muito felizes, a emoção é grande e só nos resta dizer obrigado”, acrescentou Vernini.
A empresa, que atua na área de equipamentos aeronáuticos, já iniciou a elaboração do projeto para construção de sua nova planta industrial. O hangar deverá ser erguido em duas fases já prevendo uma futura ampliação. A previsão de investimento é de R$ 8 milhões. A consolidação da unidade de Botucatu permitirá dar prosseguimento aos planos de expansão e conquista de novos mercados. Em janeiro de 2016 a Avionics completará 20 anos de atuação. Hoje a empresa tem capacidade para desenvolver qualquer projeto, desde a elaboração, instalação e certificação de sistemas aviônicos.
“Atingimos um grau de maturidade muito bom. Hoje somos uma empresa global, atuando em vários países. Temos plenas condições de tocar esse projeto em Botucatu ao mesmo tempo em que desenvolvemos outras ações dentro e fora do Brasil. Precisávamos de um local novo para dar prosseguimento a esse processo de expansão. Esperamos, em breve, comemorar a inauguração de nossa nova sede”, declara Santos.
Persistência – Em seu discurso, o prefeito João Cury disse que a solução para o caso da Avionics transformou-se em uma questão de honra, de caráter pessoal e de governo. Ao conhecer a capacidade técnica da empresa, a seriedade com que conduz seus negócios e a dimensão do ganho que a construção de sua unidade poderá trazer para Botucatu, prometeu que não entraria para a lista de prefeitos que tentaram, sem sucesso, trazê-la para cidade.
“Estamos resgatando uma dívida antiga. O caso da Avionics transformou-se em questão de honra para mim. Confesso que tínhamos todos os motivos para desistir, mas optamos por lutar até o final. Com teimosia e persistência conseguimos finalmente doar para a empresa uma área em frente à pista do aeroporto. Também havia virado questão de honra para nossa equipe conseguir fazer aquilo que muitos falavam que era impossível. Na política o mais dramático é o exercício do óbvio. Todos nós sabemos como fazer, que é importante ser feito, mas paramos nos obstáculos. O exercício do óbvio faz com que a gente vá esmorecendo, se acomodando e perdemos oportunidades. Assim como a Avionics, nosso governo é muito teimoso. Procuramos ser muito persistentes. O empresário precisa de gestos concretos e não de falatório. Precisamos ser responsáveis e consequentes ao dar uma resposta para quem deseja investir. É inadmissível que uma empresa leve anos para ser atendida e ver seu sonho realizado. Por isso gosto de usar as palavras de Geraldo Vandré: quem sabe faz a hora não espera acontecer. Estamos muito felizes com a vinda da Avionics e a partir de agora o céu é o limite, literalmente”, declarou Cury.
O chefe do Executivo destacou a importância do acordo de cooperação técnica assinado entre a empresa brasileira e a IAI (Israel Aerospace Industries) para desenvolvimento e produção do VANT (Veículo Aéreo Não Tripulado) “Caçador”, equipamento de Média Altitude e Grande Autonomia.
“A Avionics firmou parceria com a IAI, empresa de Israel, que é considerada uma das potências na área de defesa em todo o mundo. O que tem de altíssima tecnologia e melhor no mundo está aqui. Será feito e montado em Botucatu. Isso para nós é motivo de alegria porque demonstra a capacidade da prefeitura de desatar nós, correr no tempo que o empresário precisa para gerar oportunidade, emprego e renda. Isso tem uma importância muito grande”.
Ousadia – O prefeito também fez questão de ressaltar a importância da municipalização do aeroporto Tancredo Neves, viabilizada em seu governo, que garantiu à Prefeitura maior autonomia para encontrar a solução para doação da área pleiteada pela Avionics e abriu um novo vetor para o desenvolvimento do município e da região.
“A decisão de ceder o aeroporto ao Governo do Estado, tomada no governo do meu pai, foi acertada naquele momento. Aqui foram feitas melhorias importantes, como a ampliação da pista, cujo investimento ultrapassa alguns milhões de reais e que a prefeitura não teria condição de executar sozinha. A melhoria das condições do aeroporto, por exemplo, permitiu a manutenção e ampliação da Embraer em Botucatu. Mas ao longo do tempo a cessão ao Estado deixou de ter sentido tendo em vista a falta de perspectivas de investimentos pelo Daesp nos próximos 10 anos. Foi aí que decidimos pela municipalização”, explica.
Alertado da importância estratégica do aeroporto, Cury passou a negociar com o Governo do Estado a devolução do equipamento ao município, fato que ocorreu em dezembro de 2012. “Fui orientado por especialistas, como o João Vernini, no começo dessa grande travessia que foi a municipalização do nosso aeroporto. Um ato de muita vontade, muita ousadia, pouca responsabilidade de nossa parte mas que se mostra fundamental para elevar a outro patamar o aproveitamento de nosso sítio aeroportuário. Temos vocação, de mão de obra especializada, uma pista excelente, localização central no estado de São Paulo que garantem ao nosso aeroporto características peculiares. Essa decisão é uma marca indelével de que nosso governo tem a capacidade e a coragem de enfrentar grandes desafios. Com coragem, determinação e teimosia. Estamos vivendo nesse momento um divisor de águas. Não sabemos onde isso vai chegar. Mas daqui trinta, quarenta anos, as pessoas poderão compreender o que fizemos aqui juntos hoje”.
História – Dez anos antes da fundação da empresa, os amigos João Batista Vernini e Antonio José Rodrigues dos Santos já trabalhavam para grandes empresas da aviação e enxergavam uma oportunidade no mercado. Não existia uma empresa nacional que trabalhasse exclusivamente com os equipamentos aviônicos.
Com isso, somaram a suas atividades o desenvolvimento paralelo de projetos e a instalação destes equipamentos. Na época, foram convidados para projetar e instalar todos os componentes eletro-eletrônicos de um avião doméstico que, em alguns meses, faria a travessia Recife/Dakar. Com o sucesso deste trabalho, foram chamados para novos projetos e desafios.
O crescimento do setor e da demanda por projetos de aviônicos impulsionou-os a dar um importante passo e, em janeiro de 1996, fundaram oficialmente a Avionics Services. Inicialmente, a empresa contava com apenas três funcionários: os dois sócios e um engenheiro.
O momento era oportuno, pois coincidia com a chegada do GPS no Brasil e o trabalho foi direcionado para as certificações destes equipamentos. Nessa mesma época, conseguiram a homologação RBHA 145 Padrão F1, que regulamenta empresas de manutenção aeronáutica. Ainda em 1996, fecharam o primeiro contrato para reparar e instalar novos componentes aviônicos nos helicópteros da FAB (Força Aérea Brasileira).
Entre os anos de 1997 e 2000, a Avionics Services passou a atuar em novos mercados, começando a representar diversas marcas de equipamentos aviônicos, como a Trimble (GPS). Com a representação da Trimble, entraram na aviação agrícola, somando ao portfólio de serviços a instalação dos equipamentos nas aeronaves que sobrevoam as plantações.
Nos anos seguintes, atuaram fortemente representando, instalando e certificando projetos de aviônicos. Em 2000, fecharam um contrato com a Embraer para a instalação dos sistemas de áudio, vídeo, telefonia e PC Power nos novos aviões fabricados pela empresa.
Em Botucatu – No dia 14 de abril de 2015, a Avionics Services, líder no cenário brasileiro de Veículos Aéreos Não Tripulados (VANT) iniciou oficialmente suas operações em Botucatu, com a produção de um VANT de Alta Resistência a Média Altitude (Medium Altitude Long-Endurance-MALE), único e de fabricação brasileira, batizado de “Caçador”.
Já foram aplicados cerca US$ 2 milhões em instalações, equipamentos e treinamento. A previsão é que sejam investidos mais R$ 8 milhões para consolidação do projeto. O grupo de trabalho conta inicialmente com 25 colaboradores. O plano de negócios da empresa prevê a contratação de mais 20 profissionais a médio prazo, de nível médio e superior, devido aos projetos de alta tecnologia.
VANT – O Caçador é projetado para atender aos requisitos específicos e estratégicos no Brasil. O modelo será equipado com um Sistema Automatic de Decolagem e Pouso e será adaptado para uma ampla gama de missões, utilizando diversas configurações  de equipamentos e sensores.
Um acordo de cooperação técnica foi assinado entre a IAI e a Avionics Services, incluindo desde o marketing até a produção de sistemas e upgrades de plataformas aeronáuticas. A tecnologia pode ser utilizada em resgates em locais de difíceis acessos, áreas de desastres (alagamentos, desmoronamentos, desabamento, incêndios, construções interditadas, etc), pois tais dispositivos transmitem imagens/vídeos em tempo real contribuindo assim com as equipes de resgates, além dos drones também para monitorar pessoas, evitar ataques e casos de vandalismo.
Além do uso militar, os Vants estão sendo aplicados no uso civil por fotógrafos e cinegrafistas em festas de aniversários, casamentos e eventos em gerais, porque capta melhores ângulos para fotos e filmagens mantendo a câmera estável por mais tempo facilitando a produção de vídeo, além de também ser usado por emissoras de TV`s diminuindo o custo em suas filmagens aéreas, pois hoje ainda utiliza-se helicóptero.
Outra possível forma de utilizar o avião é na agricultura para identificar rapidamente pragas, falhas no plantio, saturação hídrica do solo e outros problemas que acontecem nas lavouras. Além disso, poderão ser usados para outras funcionalidades, como em fotografias, para registrar uma selfie, por exemplo. Diversas empresas estão desenvolvendo os chamados “drones-selfie”, que poderão ser controlados via controle remoto no pulso.

Fonte: Prefeitura Municipal de Botucatu

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes