Prefeitura do Rio rejeita volta do público na final da Copa América

A Secretaria Municipal de Saúde da Prefeitura do Rio de Janeiro rejeitou plano da Conmebol para liberar volta de público no estádio na final da Copa América. A confederação sul-americana tenta aprovar público restrito no Maracanã – o que envolve, por exemplo, dois convidados por atletas, e mais autoridades e convidados para a partida de Brasil e Argentina neste sábado.

Houve reunião na manhã desta quinta-feira entre a Conmebol e as secretarias estadual e municipal de saúde do Rio de Janeiro para analisar o plano de convidados restritos, com credenciamento aprovado e devidamente testados, mas ainda não há resposta das autoridades para a Conmebol.

No dia 31 de janeiro, a Conmebol levou cerca de cinco mil pessoas para a decisão da Libertadores. Desta vez, a confederação sul-americana – que não se manifestou em momento algum sobre as movimentações para a final – tentava encerrar a competição sem críticas a respeito dos protocolos para a competição.

Os dois convidados de cada atleta devem passar por teste PCR 48 horas antes da partida, como todos credenciados a trabalhar no estádio e também dirigentes. A Conmebol calcula que teve, em média, de 50 a 70 convidados nas partidas da competição. Para a decisão, esse número vai aumentar.

Durante esta tarde, o Maracanãzinho recebe cerca de 600 pessoas que vão trabalhar no estádio para testes PCR. São seguranças de área interna e externa do estádio, brigadistas, profissionais de limpeza, de engenharia elétrica, técnicos operacionais e médicos.

Para a finalíssima, deve haver mais profissionais de segurança e maior número de profissionais para cuidar do cerimonial de entrega de medalhas e colocação do palco no centro do gramado. O evento de encerramento já foi gravado nesta terça-feira e as imagens serão projetadas no gramado.

Como informado nesta quinta-feira, a agenda do presidente Jair Bolsonaro não prevê a ida para a final. Em 2019, com público, ele ergueu o troféu com os jogadores e posou para fotos.

Confira a nota da Secretaria Municipal de Saúde:

“A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) não autorizou a proposta da Conmebol com retorno de público aos estádios.

Na manhã desta quinta-feira (08), em reunião da Conmebol com a área técnica da SMS, da Secretaria de Estado de Saúde e da Secretaria Municipal de Esportes foi solicitada a possibilidade de permitir um público restrito no estádio com pessoas credenciadas e testadas para a covid-19, garantindo o distanciamento entre os lugares e com menos de 10% da capacidade do Maracanã.

As SMS e SES estão analisando a solicitação.”

Fonte: G1 – Foto: Divulgação

Scroll Up