Policial mata jovem negra nos EUA no dia da condenação pelo assassinato de George Floyd

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Um policial do Estado americano de Ohio matou a tiros uma adolescente negra de 16 anos, ao responder a uma chamada de emergência sobre uma tentativa de esfaqueamento.

A jovem envolvida no incidente, que ocorreu em Columbus, na capital do Estado, foi identificada como Ma’Khia Bryant.

A polícia de Columbus publicou imagens produzidas a partir de câmera instalada na farda do policial que aparentam mostrar a garota atacando outras pessoas com uma faca antes de ser alvejada.

Uma investigação está em andamento, e as autoridades locais pedem aos moradores da região que mantenham a calma.

O policial envolvido, que ainda não teve o nome divulgado, foi colocado em licença administrativa remunerada, conforme a imprensa americana.

A polícia foi chamada para um endereço em uma região no Sudeste de Columbus por volta das 16h45 pelo horário local (17h45 pelo horário de Brasília) nesta terça-feira (20/04), conforme o jornal local Columbus Dispatch.

Imagens da câmera portátil disponibilizadas pela polícia mostram um desentendimento entre um grupo de indivíduos em frente a uma casa, até que um deles – que seria Ma’Khia Bryant – parece ameaçar um outro membro do grupo com uma faca.

Um policial então se aproxima do grupo na entrada de veículos e grita “abaixem-se” antes de disparar diversos tiros, ferindo fatalmente a adolescente.

Câmera corporal na hora do tiroteio em Ohio
Câmera instalada na farda mostra policial chegando à cena de uma denúncia de distúrbio (Foto: Reprodução/BBC)
O policial sacou a arma e disparou tiros
O policial sacou a arma e disparou tiros (Foto: Reprodução/BBC)

Autoridades locais disseram que o policial atirou para salvar a vida de uma das garotas do grupo, mas uma mulher que se identificou como a tia de Ma’Khia Bryant disse que sua sobrinha estava apenas se defendendo após ter sido atacada.

À rede de televisão local WBNS-TV, a mãe da adolescente, Paula Bryant disse estar “magoada” pelo que aconteceu e que sua filha era uma “menina amável”,

“Isso não deveria ter acontecido”, disse ela, acrescentando: “Eu quero respostas.”

Paula Bryant disse que sua filha, que morava atualmente num lar adotivo, estava “ansiosa para voltar para casa”.

Em uma coletiva de imprensa, o chefe interino da Polícia de Columbus, Mike Woods, disse que um investigação está sendo conduzida pelo Departamento de Investigação Criminal de Ohio.

“Com a conclusão dessa investigação, a corregedoria de polícia vai realizar uma revisão administrativa das ações do policial e de todos os agentes que estavam no local”, disse ele.

A polícia e os investigadores trabalham no local do tiroteio de terça-feira em Columbus, Ohio. Foto: 20 de abril de 2021
A polícia isolou o local e uma investigação está agora em andamento (Foto: Reprodução/BBC)

“Esse é um incidente trágico para todos os envolvidos, mas especialmente para a família da jovem.”

O prefeito de Columbus, Andrew Ginther, descreveu o fato como “terrível, de partir o coração” e “um dia trágico para a cidade”.

“Sabemos, com base nas filmagens, que o policial agiu para proteger outra garota da nossa comunidade – mas uma família está em luto esta noite.”

O tiroteio em Columbus aconteceu logo após um júri considerar um ex-policial culpado de homicídio pela morte de George Floyd em Minneapolis, no ano passado.

Derek Chauvin, de 45 anos, foi filmado ajoelhando no pescoço de Floyd por mais de nove minutos durante a prisão do homem negro em maio de 2020.

A filmagem amplamente disseminada gerou protestos em todo o mundo contra o racismo e o uso excessivo de força pela polícia.

Após a morte, manifestantes se reuniram em Columbus em local próximo à casa onde a jovem foi alvejada.

Fonte: BBC

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes