Polícia revela detalhes do ritual da eleição de chefes da máfia italiana

A polícia italiana revelou neste sábado os rituais da Cosa Nostra para a eleição do novo chefe, que acontece numa votação com a mão erguida e o lançamento de uma vendetta em seu nome.

Graças a uma investigação de vários meses, policiais antimáfia prenderam na sexta-feira seis pessoas que pertencia ao clã Santa Maria de Gesú, um dos mais perigosos da Sicília.

Entre eles, Giuseppe Greco, de 53 anos, foi eleito este ano como novo chefe deste clã radicado em um bairro de Palermo, em uma votação feita no interior de uma barbearia.

Nas fotos tiradas pela polícia, se vê como seus subordinados beijam a testa de Greco, apelidado “o tio Pino”, em sinal de submissão e respeito, uma tradição muito antiga na máfia siciliana.

Graças a essa fotos e gravações, a polícia se inteirou das leis, da organização e da história desse clã, segundo procurador de Palermo, Francesco Lo Voi.

Sinal de que a máfia italiana está longe de estar debilitada, os mafiosos repetiram várias vezes o termo “Cosa Nostra”.

O novo chefe ordenou a seus homens que punissem Mirko Sciacchitano, de 29 anos, suspeito de ter ferido um dos membros do clã.

O rapaz foi morto a tiros, enquanto que um dos braços-direitos do chefe do clã observava ao volante de um carro, onde a polícia escondeu um gravador.

A Cosa Nostra, na Sicília, foi a máfia italiana mais poderosa até o final dos anos 90, quando começou a perder influência devido a prisões em massa.

A máfia napolitana, a Camorra, e a calabresa, la ‘Ndranghetta, ainda são muito influentes.

Fonte: Yahoo!

Scroll Up