Polícia investiga se morte de compositor teria como motivação vazamento de letra

Agentes da Divisão de Homicídios trabalham com três linhas de investigação para a morte do compositor da Vila Isabel Izainaldo Vieira Leonel, de 54 anos. Duas das hipóteses para o crime estão ligadas a desavenças do artista no mundo do carnaval. Uma delas envolve o samba-enredo da escola para 2016. Segundo testemunhas contaram à especializada, Leonel foi acusado de vazar a letra da música que fez com Martinho da Vila, André Diniz, Mart’nália e Arlindo Cruz. A outra versão liga o crime ao tráfico no Morro dos Macacos. O corpo de Leonel foi enterrado ontem no Cemitério do Caju.

A Vila Isabel vai levar para a Avenida uma homenagem ao político Miguel Arraes, com o enredo “Memórias de ‘Pai Arraia’ – Um sonho pernambucano, um legado brasileiro”. O vazamento, que aconteceu no início de setembro, cerca de duas semanas antes de a disputa começar, teria provocado brigas entre componentes da Vila. A escolha do samba-enredo é uma disputa acirrada, com letras e melodias guardadas em sigilo, por medo de cópia. O grupo de Martinho da Vila teve vários sambas escolhidos como os melhores nos últimos anos.

Leonel chegou a ser acusado pelos colegas por ter feito o vazamento como forma de pressionar que houvesse mudanças na letra. O compositor também teria discutido com integrantes de um dos grupos que ficou entre os finalistas e não ganhou.

A outra linha de investigação da DH aponta para o envolvimento de criminosos da quadrilha que domina o Macacos. Leonel, que já foi casado e deixou três filhos, estaria saindo com uma jovem que é ex-namorada do chefe do tráfico da comunidade. Leandro Nunes Botelho, o Scooby — contra quem há 11 mandados de prisão por tráfico, associação para o tráfico, sequestro, cárcere privado e homicídio — estaria insatisfeito com o relacionamento. Ele teria, por isso, encomendado a morte do compositor.

Fonte: Extra

Scroll Up