Polícia de Botucatu investiga morte de mulher após aborto e procura corpo de bebê

A Delegacia de Defesa da Mulher (DDM),  de Botucatu trabalha na investigação de um caso de aborto, seguido da morte da mãe, uma mulher de 34 anos, que perdeu a vida no último dia 14 de dezembro, no Hospital das Clínicas de Botucatu.

Segundo informações da Polícia,  ela estava grávida de 7 meses e mantinha um relacionamento com um metalúrgico de 34 anos, que foi preso na tarde desta terça-feira (22), suspeito de ter ajudado a comprar os remédios abortivos no Camelódromo de Botucatu.

O casal teria ido até um Motel da cidade, onde o bebê nasceu, após a mulher ter ingerido dois compridos abortivos e colocado mais dois na vagina.

A criança chegou a chorar,  foi enrolada em um lençol e levada no carro do pai, até um matagal onde foi enterrada.

Três dias após o aborto, a mulher passou mal e foi levada ao PS Adulto, e transferida para o HC, onde acabou falecendo no dia seguinte da internação.

A causa da morte foi atestada como infecção generalizada, retenção de placenta e aborto provocado por medicação.

O namorado  nega a participação no crime, e afirma que ela teria feito tudo sozinha. O corpo do bebê está sendo procurado pela Polícia.

Caso seja comprovada a participação do homem no crime ele poderá responder por duplo homicídio qualificado.

Leia Notícias

Scroll Up