Polícia alemã é questionada por investigação de suspeito no ‘caso Maddie’

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

A atuação da polícia alemã no caso do desaparecimento da pequena Madeleine McCann está na berlinda, devido à mesma ter informado ao principal suspeito, em 2013, que queria interrogá-lo, o que o teria alertado – afirma a revista “Der Spiegel” nesta sexta-feira (12).

A polícia alemã deu um novo impulso à investigação do misterioso desaparecimento da britânica Madeleine McCann, então com 3 anos, em 2007. Há dez dias, a corporação anunciou ter identificado um suspeito, Christian B., de 43 anos.

Hoje, ele se encontra detido em Kiel, no norte do país, por tráfico de drogas. Pedófilo reincidente, ele teve de ser colocado em uma cela solitária por motivos de segurança. Christian se recusa a falar sobre o “caso Maddie”, conforme declaração de um de seus advogados a um canal de notícias alemão.

No momento dos fatos, Christian B. morava a vários quilômetros do hotel onde Maddie havia desaparecido.

Agora, ele é considerado suspeito do assassinato da menina, que estava de férias com a família na Praia da Luz, no Algarve, sul de Portugal, quando desapareceu.

De acordo com a revista “Der Spiegel”, porém, a polícia alemã está na pista desse homem desde 2013, seguindo informações fornecidas por um indivíduo que alegou ter trabalhado com Christian B. à época do desaparecimento.

Com base nesse testemunho, a polícia de Brunswick (noroeste) imediatamente convocou Christian B. para comparecer como testemunha, conforme a mesma fonte.

Em uma carta oficial enviada para o suspeito em 4 de novembro de 2013, à qual “Der Spiegel” afirma ter tido acesso, a polícia lhe dizia claramente que queria que ele fosse prestar depoimento no âmbito do caso Maddie. Isso pode tê-lo feito ganhar tempo para destruir eventuais provas.

“Isso não deveria ter acontecido desse modo e não corresponde, de forma alguma, ao procedimento habitual em um caso tão delicado”, disse um policial à revista.

Em geral, os investigadores tentam, primeiro, reunir informações, em vez de abordar diretamente um possível culpado.

A polícia de Brunswick se recusou a comentar as informações da revista.

Em 2013, a polícia alemã já havia sido alertada sobre Christian B. no âmbito do caso Maddie, após um programa de televisão, no qual a polícia alemã solicitou a colaboração de testemunhas.

Os pais da menina participaram, com o chefe da investigação britânica, e apresentaram dois retratos falados de possíveis suspeitos.

Um homem, que na época dizia que Christian B. trabalhava com ele em Portugal no setor de serviços para piscinas, manifestou-se.

Até o momento, porém, o suspeito não apareceu diante dos investigadores, de acordo com seu advogado.

Fonte: Yahoo!

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes