Passageiros reclamam de novos atrasos de ônibus entre Botucatu e Itatinga

A situação para quem se utiliza do transporte su­burbano entre Botucatu e Itatinga ficou nova­mente complicada. Isso porque, nos últimos dois dias úteis, passageiros reclamaram de atrasos nas viagens no período da manhã.

O primeiro caso ocor­reu na sexta-feira, 22, quando o ônibus que era para ter partida às 10h30, conforme programação da empresa Rápido Cam­pinas (Osastur), somente iniciou viagem por volta das 12h40m, no Terminal Rodoviário de Botucatu. Na oportunidade, houve o jogo da seleção brasi­leira, às 9 horas, diante da

Costa Rica, na primeira fase da Copa do Mundo. Segundo passageiros que aguardavam pelo cole­tivo, não houve nenhum aviso sobre mudanças no horário.

Outro caso ocorreu na manhã de segunda-feira, 25, quando o primeiro ônibus, que deveria partir às 7 horas, demorou mais de 45 minutos, conforme relatos de passageiros que pegariam o mesmo em um ponto de ônibus na Vila Assumpção, no acesso à Rodovia João Hypólito Martins (SP- 209), a Castelinho.

Tais casos motivaram fiscalização da Agência de Transportes do Esta­do de São Paulo (Artesp). A ação, realizada das 5h50 às 10h50 no Termi­nal Rodoviário, abrangeu cinco veículos da Rápido Campinas. Segundo infor­mações do próprio órgão estatal, emitidas por sua assessoria de imprensa, “no período em que os fiscais permaneceram no terminal não ocorreu atraso nos horários das viagens”.

A própria Artesp frisa que, em caso de constata­ção de atrasos frequentes e flagrantes de irregula­ridades nos horários, a empresa é autuada, com aplicação de advertência e multas. Além da assi­duidade nas viagens, há a fiscalização em pontos referentes a conservação, lotação máxima permiti­da e itens de segurança.

Um dos ônibus fisca­lizados na manhã desta segunda-feira foi retido e encaminhado ao pá­tio da empresa por estar com o cartão de vistoria inválido. Tal certificação, que fica visível no veícu­lo, é documento de porte obrigatório, que compro­va a aprovação técnica e de segurança do veículo para circular pelas rodo­vias intermunicipais.

“Quando se trata de veículos registrados na Agência e que apresen­tam falha nos itens de segurança, retira-se o ve­ículo de circulação com a retenção do cartão de vis­toria e excluem-se os da­dos do sistema da Artesp. Para que o veículo possa voltar a operar, há neces­sidade

da realização de nova vistoria e aprovação de todos os itens de segu­rança. Além disso, após a realização da vistoria inicial, são realizadas au­ditorias esporádicas, com a finalidade de verificar se os veículos encontram-se dentro dos padrões esta­belecidos durante todo o ano”, salienta a nota emi­tida pela agência.

A Artesp reforça, aos usuários da linha, que em caso de descumprimen­to da legislação ou da queda na qualidade dos serviços prestados, as reclamações podem ser feitas à Ouvidoria do ór­gão, através do telefone 0800-727-83-77 ou pelo endereço eletrônico ou­[email protected]

Fonte: Jornal Leia Notícias – Por Flávio Fogueral