Pai que foi gravado dizendo que só compraria uniforme escolar para filha se pudesse estuprá-la deixa a prisão

O homem de 48 anos que foi preso suspeito de abusar da própria filha no bairro Ouro Preto, na Região da Pampulha, em Belo Horizonte, deixou a prisão nessa terça-feira (5).

Em maio deste ano, a vítima, de 25 anos, contou à reportagem do g1 Minas que começou a ser abusada ainda na infância. Quando entrou na adolescência, ela precisou de um uniforme escolar e, segundo a jovem, o pai disse que só compraria se pudesse estuprá-la.

“Os abusos começaram quando eu tinha uns 3 anos, tinha um shortinho vermelho e listrado e lembro dele esfregando as partes íntimas em mim. Quando eu entrei na adolescência, precisava de um uniforme escolar e meu pai disse que só compraria se eu deixasse ele me chupar”, contou a vítima na época.

Por meio de nota, nesta quarta-feira (6), a Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) informou que ele foi desligado do sistema prisional por revogação da prisão preventiva. Ele estava preso desde o dia 18 de maio.

“Fiquei com medo após saber que ele foi solto. Tenho medo dele fazer algo pior. Fui ao fórum hoje e o promotor disse que ele vai responder em liberdade até o julgamento ser marcado”, disse a vítima nesta quarta.

A reportagem questionou o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) em relação à revogação da prisão do homem. Por meio de nota, a assessoria de imprensa informou que “os processos que apuram crimes contra a dignidade sexual tramitam em segredo de Justiça”.

Desabafo com a mãe e gravação

No dia em que o homem falou que só compraria o uniforme após os abusos, Mariana tomou coragem e contou para a mãe o que estava acontecendo.

“Minha mãe pediu para eu gravar, ele repetiu isso e fomos à delegacia. Depois da denúncia, meu pai se recusou a sair de casa e fui morar novamente com minha avó. Depois de alguns meses, ele saiu e voltei para ficar com a minha mãe”, contou.

Durante a prisão em maio, o homem negou os abusos sexuais.

Fonte: G1