25 de maio, 2024

Últimas:

Estudos afirmam que mais de 75% das picadas de mosquitos, como o da dengue, acontecem por cima das roupas

Anúncios

Apesar de desconhecido pela maioria das pessoas, o uso de repelentes em tecidos e roupas já é utilizado por exércitos avançados ao redor do mundo, como o Americano, Alemão, Inglês e Israelense, contra picadas de mosquitos, ácaros, carrapatos, entre outros insetos, há mais de 30 anos. Segundo um estudo publicado pela Medical and Veterinary Entomologyem Londres, cerca de 75% das picadas de mosquitos acontecem por cima das roupas, o que torna a aplicação de repelente nos tecidos uma necessidade na proteção contra doenças ligadas ao inseto, como a Dengue, a Zika e a Chikungunya.

“Diante dos alarmantes dados sobre a Dengue no Brasil nos três primeiros meses de 2024, é muito importante que a população conheça essa forma diferenciada de proteção e entenda que não basta passar repelente apenas na pele das partes do corpo que estão descobertas pelas roupas”, alerta Henrique Cossi, gerente de inovação e novas tecnologias da Haxea.

Anúncios

Segundo ele, essa pesquisa inglesa de 2023 fez inúmeros testes sobre a eficácia do princípio ativo Permetrina, que é a versão sintética do repelente natural de insetos produzido pelo extrato da flor do crisântemo, e comprovou a sua eficácia. “Baseado nessa proteção evidenciada nessas análises científicas, a Anvisa aprovou o D-Fense Pro Tecidos, recém-lançado pela HAXEA, que diferente dos demais repelentes sendo totalmente desenvolvido para ser aplicado em roupas e acessórios de tecidos diversos”, explica.
 

O produto age rapidamente, é incolor, não mancha e não deixa cheiro. Enquanto a essência natural do extrato do crisântemo se decompõe rapidamente ao entrar em contato com a luz solar, a versão sintética tem longa duração. “Nas primeiras embalagens, o repelente era prescrito para mais de 12 horas de proteção, porém já passou por testes da Anvisa, comprovando o alcance de proteção de 24 horas, ou seja, garantindo total proteção com apenas uma aplicação diária”, detalha o porta-voz.

Anúncios


“O D-Fense Pro Tecidos foi testado dermatologicamente, portanto, não há problema caso ele entre em contato com a pele, mas como a maior parte das picadas ocorrem por cima das roupas, ele foi desenvolvido e aprovado para ter o máximo efeito e proteção em tecidos, e não na pele. Ele também pode ser aplicado em equipamentos de trilha, pesca e camping, como mochilas, botas, barracas, sacos de dormir, redes e em acessórios de casa, como sofás, almofadas, cortinas, tapetes, travesseiros e na roupa de cama. Sendo uma ótima maneira de proteger a família não só contra a Dengue, mas também a Zika e Chikungunya, alergias causadas, por exemplo, pelos ácaros e a Febre Maculosa, transmitida pelo carrapato-estrela”, conta Henrique. 


Com formato de spray, o novo produto pode ser aplicado em tecidos pendurados em cabide, varal ou colocado em uma superfície plana, em um local arejado, que seja protegido do vento e da luz solar. Ele também pode ser aplicado sobre lençóis, travesseiros, móveis e cortinas. Para pulverizar, mantenha o frasco a uma distância de cerca de 10 cm a 15 cm, pulverizando com movimentos lentos até molhar todo o tecido de maneira leve e uniforme. Não é necessário encharcar a roupa ou tecido. É importante que ele seja espirrado em todo o tecido e dos dois lados da peça. Caso o uso seja feito também para combater insetos como o carrapato, deve-se dar atenção especial às mangas e barras de camisas e calças, onde os aracnídeos mais se alojam. Depois disso, o ideal é deixar o tecido secar naturalmente na sombra, antes de usar.

Talvez te interesse

Últimas

Anúncios Florisval Marques Lara – 77 anos Sepultamento Cemitério Portal das Cruzes 25/05/24 às 16h Velório Complexo Funerário Orlando Panhozzi...

Categorias