20 de junho, 2024

Últimas:

Oposição da Venezuela para as próximas eleições pede união e frente ampla para derrotar Maduro

Anúncios

Os candidatos que querem disputar a eleição presidencial venezuelana pela oposição no próximo ano concordaram em um debate nesta quarta-feira (12) que devem apresentar uma frente unida contra o partido do governo, e trabalhar para impulsionar a economia atraindo investimentos privados.

O debate, o primeiro entre candidatos da oposição desde 2011, ocorreu enquanto eles aguardam uma decisão da mais alta corte do país que poderia suspender a disputa de 22 de outubro.

Anúncios

O candidato independente para 2024, Luis Ratti — que muitos na oposição dizem ter laços com o partido socialista no poder — pediu ao Supremo Tribunal de Justiça na segunda-feira (10) para impedir a eleição primária por alegações não especificadas de irregularidades.

María Corina Machado, opositora de Maduro declarada inelegível na Venezuela (Foto: Reprodução)

A oposição da Venezuela, frequentemente dividida, tenta retirar do poder o presidente Nicolás Maduro, que governa o país desde 2013.

Anúncios

Embora a última eleição em 2018 tenha sido amplamente condenada como fraudulenta, especialmente pelos Estados Unidos, a oposição até agora não conseguiu derrubar Maduro.

Três dos mais destacados entre os 14 candidatos da oposição, Maria Corina Machado, Henrique Capriles e Freddy Superlano, já foram impedidos de ocupar cargos públicos.

A primária deve dar à oposição uma liderança clara e uma unidade mais forte, disseram os oito candidatos que participaram do debate, organizado por grupos não-governamentais e realizado na Universidade Católica Andrés Bello.

“Precisamos de uma liderança que não hesite, que confronte, que não se curve diante das ameaças”, disse Machado, uma ex-parlamentar de 55 anos que lidera as pesquisas para as primárias.

“Esta não é uma eleição convencional”, disse Superlano, que alertou que qualquer um dos candidatos pode ser banido. “Precisamos de uma liderança que leve a luta até o fim.”

No entanto, houve discordância sobre como escolher um substituto se o candidato favorito for impedido de concorrer.

Capriles, que disputou a Presidência duas vezes, não participou. Ele disse na segunda-feira que o país precisa que a oposição seja unida, não expondo suas diferenças em público.

Fonte: Agências

Talvez te interesse

Últimas

Anúncios O cantor Chrystian, que fez parte da dupla “Chrystian e Ralf”, morreu na noite desta quarta-feira (19). Ele tinha...

Categorias